segunda-feira, 23 de julho de 2018

Asssim nasce um boato (2)



Tenho uma simpatia muito especial pela Croácia, que considero um dos países mais bonitos da Europa, onde as mulheres bonitas são regra e não excepção.
Vivi em Split e Trogir no tempo da Jugoslávia, apaixonei-me por Dubrovnik, pela ilha de Hvar e fui à Croácia  duas ou três vezes depois do desmembramento  da URSS. 
Conheço, por isso, as diferenças  políticas  entre esses dois momentos históricos  dos Balcãs e pude testemunhar as mudanças profundas que encontrei.
Não me admirei, no entanto,  quando percebi que muita gente ( que provavelmente nunca esteve na Croácia) torcia pela vitória da França na final do mundial, porque considera que a Croácia vive sob um regime fascista. 
Tudo serviu para apoucar e denegrir a presidente croata, que viajou para a Rússia como adepta, pagando as viagens à sua custa e metendo dias de férias. "A porca fascista é uma fingidora" assim a descreveram  algumas pessoas que eu até considero terem dois dedos de testa.
A cereja no topo do bolo surgiu quando começou a circular nas redes sociais uma carta escrita pelo seleccionador croata que arrasava o governo do país e a presidente.
Torci o nariz ao ler aquilo e tinha razão para o fazer. A carta que circulou por aí para gáudio de alguns detractores da Croácia, que vivem em  países onde a bandalheira e a corrupção são a regra, afinal era falsa e o autor já veio reconhecer a paternidade da missiva, como se pode ler aqui. 

Em tempo: para mim, as fake news são apenas boatos e mentiras. Dispenso anglicismos bacocos 

3 comentários:

  1. Nunca acreditei que a tal carta tivesse sido escrita por
    Zlatko Dalic. Ainda bem que o nojento responsável pela missiva confessou o facto.
    Sempre houveram feios, porcos e maus. A presidente croata não podia, de forma alguma, escapar aos disparates conduzidos pela tacanhez e estupidez (rima) dos anormais do costume.
    Há que seguir em frente e acreditar nas pessoas boas que, sem dúvida alguma, existem, são uma realidade.
    Dispenso perdedores ordinários e adoro ganhadores sérios e talentosos.

    Boa semana, Carlos. Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. A minha mãe costumava dizer: “por que será que as pessoas têm a tendência para o mal e não para o bem?”

    ResponderEliminar
  3. A imagem que tenho da presidente croata, e não é por ser um pedaço de mulher, é precisamente a oposta.
    Um bom exemplo no meio da choldra que costuma ser o meio político.

    ResponderEliminar