terça-feira, 6 de março de 2018

Oceanário de Lisboa em reboliço




Peixes, bivalves, moluscos, cefalópedes e outros animais aquáticos não identificados, reuniram-se em AG no Oceanário de Lisboa, para discutirem as medidas a tomar em protesto contra a atribuição do Óscar de Melhor Filme a "A Forma da Água".
No comunicado enviado às redacções, os habitantes do Oceanário protestam contra o facto de a Academia ter atribuído o galardão  a um filme em que uma mulher  mantém relações sexuais com um peixe.
" Isto é uma perversão intolerável!"- disse um peixe martelo aos jornalistas aglomerados junto do aquário onde Amália e Eusébio vivem um romance de amor.
"Se a justiça não actuar, saberemos responder em conformidade, denunciando a situação  ao Tribunal Europeu dos Direitos dos Animais" - garantiu também um polvo que acabou de assinar um contrato com a FIFA para adivinhar os resultados dos jogos do Mundial de Futebol que se inicia em Junho
Já os peixes tropicais assinaram um comunicado conjunto onde se demarcam dos restantes animais do Oceanário, porque o comunicado não faz uma crítica ao peixe-porco que vive na Casa Branca
O CR sabe que os animais do Oceanário vão apresentar queixa à Comissão Para a Igualdade de Género, exigir à RTP que faça um Prós e Contras sobre o assédio sexual aos animais  marinhos e pedir uma audiência à PGR.
Foi também lançada uma petição contra o assédio sexual aos animais marinhos praticado por humanos, mas a Tartaruga Marinha não assinou, porque anseia vir a ser assediada pelo sapo Cocas.

6 comentários:

  1. Mas o peixe não disse NÃO, portanto não é assédio sexual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vá dizer isso às meninas do Time's up e do Me Too e vai ver como elas a tratam, Teresa :-).

      Eliminar
  2. :)))

    O anfíbio afinal não estava destituído de equipamento como se poderia ter pensado de início. 😊😊

    ResponderEliminar
  3. Vou ver o filme amanhã ou no fim-de-semana.
    Será seguro???

    ResponderEliminar