sexta-feira, 30 de março de 2018

A Vitória de Puigdemont




Independentemente da opinião de cada um sobre a causa catalã, a personalidade de Puigdemont, ou a estratégia dos independentistas, uma coisa é certa: Puigdemont conseguiu europeizar a questão catalã, um dos seus objectivos. Lê-se a imprensa alemã,ouvem-se os comentários e opiniões dos partidos alemães e fica-se com a convicção de que saiu o tiro pela culatra a Rajoy e ao PP. Ao optar por ser preso na Alemanha, Puigdemont conseguiu o que não almejou durante seis meses em Bruxelas. O assunto é debatido a nível europeu e pode provocar reacções que se reflictam noutros países. E se a Alemanha decidir não extraditar Puigdemont ( o que até não me parece assim tão improvável) e o Comité dos Direitos Humanos da ONU- que deu uma reprimenda a Madrid no caso Sanchez- ter aceite a queixa de Puigdemont, pode muito bem acontecer um novo revés para os constitucionalistas espanhóis.
Se Rajoy fosse russo, húngaro, romeno ou polaco, seria um temível ditador ou, no mínimo, um autocrata que prende os adversários políticos. Sendo espanhol e mesmo recusando-se aceitar os resultados eleitorais, Rajoy ainda  é visto como um democrata a defender a unidade de um país que é um aglomerado de povos distintos onde é difícil encontrar unidade.
Tudo pode mudar se a decisão sobre o futuro de Puigdemont passar por Bruxelas e houver consenso que se trata de um preso político.  A partir desse momento, Rajoy estará metido num grande imbróglio.
A justiça alemã tem até 90 dias para tomar uma decisão sobre a extradição de Puigdemont. Quanto mais tardar a decisão, mais provável é que estejam a decorrer negociações para que Rajoy mostre alguma flexibilidade e, pelo menos, respeite os resultados eleitorais.
Se houver extradição, Rajoy terá de prender muitos mais catalães, pois o povo catalão não acatará sem luta a tirania de Madrid.


8 comentários:

  1. Madrid cometeu um enorme erro ao transformar pessoas eleitas democraticamente em presos políticos.
    As consequências chegarão, sem aviso, mas com força.
    Grave, muito grave.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rajoy cometeu um erro, arrastou o Rei consigo e, o que é mais grave, é que nenhum deles ainda percebeu.

      Eliminar
  2. Uma situação complicada...

    Convidamos-vos a ler o capítulo VII do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
    https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/03/voar-sem-asas-capitulo-vii.html

    Votos de Feliz Páscoa!
    Saudações literárias

    ResponderEliminar
  3. Não gosto de Puigdemont. O passado dele também não o recomenda. Penso que a Alemanha talvez não o extradite, porque o espanhol que extraditou no tempo de Franco foi depois executado em Espanha e na Alemanha não havia pena de morte. Também não me parece que a UE o vá considerar um preso político. A Alemanha e a UE já fizeram muita porcaria com a Ucrânia dizem eles que foi por causa da Crimeia. Por outro lado Rajoy não tem os tomates de qualquer pequeno ditador. Eu penso que haverá antes uma alteração na lei em Espanha. Os catalães sempre foram parecido aos do Norte deste país. Acham que trabalham para os outros se divertirem. Li há pouco um livro, que é uma biografia, duma escritora marroquina, que emigrou, em criança, com os pais para a Catalunha, e que vive lá e conta como aquele povo é levado da breca e trata mal qualquer emigrante mais escuro e quem tenta falar espanhol na sua terra...

    ResponderEliminar
  4. Eu também não gosto de Puigdemonmt e também considero os catalães um bocado racistas com os imigrantes, mas isso não invalida nada do que escrevi no post.
    Quanto a falarem espanhol devo dizer-lhe que está enganada. Já foi assim, é verdade, mas nos últimos seis meses estive três vezes em Barcelona e posso-lhe garantir que já não é assim. Até estranho, quando chego a hotéis, restaurantes e mesmo comércio, que se me dirijam logo em castelhano e não em catalão, como era hábito há poucos anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é verdade que, com muita pena minha, há muitos anos que não vou a Barcelona. baseei-me em notícias e nas pessoas que conheci. Fico contente que tenha viajado tanto nos últimos meses.

      Eliminar
    2. Na verdade, houve uma mudança muito significativa no comportamento dos catalães, em relação aos estrangeiros, nos últimos meses. Ainda há um ano eu escrevi aqui um post, criticando o facto de os turistas estarem a ser atacados em restaurantes e locais públicos.
      As coisas mudaram porque foi preciso recuperar a simpatia dos estrangeiros. Só isso...
      Quanto a ter ido três vezes a Barcelona em seis meses, não quer dizer que tenha sido propriamente para fazer turismo. Mas claro que aproveitei e fiz 2 em 1.

      Eliminar