quinta-feira, 1 de março de 2018

A Justiça segundo Pinto Monteiro





As "revelações" de Pinto Monteiro, na entrevista de hoje ao "Público", não me surpreenderam absolutamente nada, mas vale a pena lê-la para acabar com certos mitos. Há muito tempo que digo que a justiça é uma roleta russa e quem tem a arma faz uma escolha selectiva dos alvos a atingir, antes de premir o gatilho. 
A promiscuidade entre jornalistas e MP, ou a aplicação da justiça de acordo com critérios partidários e/ou clubísticos também salta à vista do cidadão comum. Resta saber se algum dia alguém terá coragem para acabar com os telefones directos entre magistrados, polícias e jornalistas. Enquanto essa promiscuidade existir, a discussão sobre a figura de PGR é absolutamente estéril, pois a apreciação que se fizer do seu trabalho assentará sempre em critérios políticos e/ou clubísticos. E é bom lembrar que o sindicato dos magistrados do MP tem um considerável poder para condicionar essa apreciação.

2 comentários:

  1. Ainda me surpreendo quando há pessoas que se comparam ao Ricardo Salgado e outros que tais.
    Os que são mais iguais que os outros.

    ResponderEliminar