quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

To whom it may concern




D. Januário Torgal Ferreira dixit
" Este Governo recebeu um País desventrado, aniquilado. Provou-se que havia alternativa e saiu tudo ao contrário das profecias. Se não fossem António Costa e Mário Centeno, Portugal estava destruído. Chamem-me ignorante, clubista, populista, o que quiserem, mas acreditei e acredito na chamada "geringonça". Enão me venham dizer que o êxito foi de todos. Vão aos jornais da época e leiam as previsões dos Velhos do Restelo sobre o que ia acontecer a esta solução governativa e parlamentar.Eu sei bem os nomes que chamaram ao ministro Mário Centeno"
( Na revista Visão da semana passada. Uma entrevista que vale a pena ler)


D. Januário foi meu professor antes do 25 de Abril. Tive oportunidade de ter muitas conversas com ele e perceber que era um homem de esquerda, crítico de alguns vícios da Igreja que procurava combater.
É bom saber que, aos 80 anos,  se mantém fiel  a uma forma de estar na vida e de ver o mundo que a Igreja não aprecia.

6 comentários:

  1. Carlos, eu nunca leio um texto antes de ele ser publicado... e só agora reparei neste

    Mas quando li este seu excerto reparo que também não fez link à Visão... nem se referiu a Marcelo... nem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que os meus leitores são suficientemente inteligentes, para perceber a bicada a Marcelo, Rogério.
      Na verdade não fiz link, porque não consegui.
      Actualmente, como estou reformado, também não leio textos antes de serem publicados. Excepto os meus, claro, e um ou outro que alguns autores me vão enviando com pedido de apreciação. Abraço e bom Carnaval

      Eliminar
  2. Grande D.Januário:))) Tiro-lhe o meu Chapéu!!

    ResponderEliminar
  3. Um homem frontal, de coluna direita, que por isso se torna incómodo para muita gente.
    Gosto de pessoas assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em flagrante contraste com o patriarca Clemente, Pedro.
      Também gosto de pessoas como D. Januário. Ou Frei Bento Domingues e Anselmo Borges.

      Eliminar