quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Jogo viciado


Desde miúdo que sou céptico em relação à justiça. A frequência do curso de Direito apenas me ajudou a confirmar aquilo que já suspeitava: a justiça é um jogo viciado onde os poderosos vencem (quase) sempre.  Para os outros ( a maioria) a justiça é uma roleta russa onde sai vencedor quem melhor conhecer e souber manejar a arma ( as leis).
Mas não é só nos tribunais que a justiça é iníqua. Também na justiça  desportiva a lei é aplicada em função dos protagonistas, sendo regida pela discricionariedade de quem julga. Era ainda uma criança quando vi um Calabote a fazer todos os esforços para falsificar um resultado e, desde  então, sempre desconfiei da isenção dos árbitros. Ao longo da vida vi Paixões, Reinaldos, Rolas e quejandos, manipular resultados em função dos seus amores clubísticos e do respeito por quem manda no mundo do desporto.
Continuo a acreditar que, na generalidade, os juízes e os árbitros são honestos, mas basta uma maçã podre para adulterar a verdade e  conspurcar o bom nome da classe. Ontem, uma dessas maçãs podres pegou no apito e entrou num estádio de futebol disposto a falsificar um resultado. Não conseguiu, mas a  sua desonestidade foi tão evidente, que só a cobertura corporativa que a classe dá aos seus correligionários desonestos, impede que o senhor seja severamente punido e irradiado.
Não, não foi na Luz que esteve esse homem  do apito que envergonharia a classe se, porventura, os árbitros tivessem vergonha.

15 comentários:

  1. Jesus Christ! Que hermético! Eu ando por de mais cansada, mas não fui capaz de descobrir a quem se refere...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Graça, só podia ser à arbitragem do jogo do FCP onde o árbitro expulsou um jogador logo no inicio.

      Eliminar
    2. Não foi logo no início, Anfitrite, mas realmente é a esse jogo que me refiro, Graça

      Eliminar
  2. Oh, e eu logo a pensar que tinha sido no benfica-sporting que até eu achei mal arbitrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobre esse jogo, adrei a crónica de Ferreira Fernandes. As imagens metiam mesmo medo. Foi nisto que se transformou um desporto. https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/ferreira-fernandes/interior/a-manada--desceu-a-cidade-9023037.html

      Eliminar
    2. adoro as crónicas do FF e, quando estou longe do país, é das poucas coisas que tento sempre ler na Internet. Só que a esta tenho de apontar uma falha. É que a responsabilidade do encerramento das escolas foi das cavalgaduras que marcaram o jogo para uma quarta-feira à noite. Só imbecis teriam uma ideia tão asinina.

      Eliminar
  3. O jovem que mostrou um cartão amarelo ao Soares por ele ter ficado com duas feridas nas pernas.
    Grande passarão.
    Não é fácil deitar este Porto abaixo, Carlos.
    Mérito do Sérgio Conceição.
    O resto que se f...lixe!
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Além de ter expulsado o Filipe ( não contesto a justiça da decisão) e ter deixado em campo dois jogadores do Feirense que cometeram faltas de idêntica gravidade. Mas que se há-de fazer? Nem que seja com os árbitros a marcar golos com a mão aos adversários do Benfica e a invalidar golos limpos ( como aconteceu no Dragão) o Benfas tem de ganhar o campeonato, porque outros interesses se levantam. VERGONHA!

      Eliminar
  4. Somos todos isentos! Exceptuando quando mexem no nosso clube.

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que aquelas ferias no Brasil pagas por engano ao Carlos Calheiros, e as meninas ao Jacinto Paixao,os Quinhentinhos ao José Guimaro, os fora de jogo à moda do Donato Ramos,sairam da imaginaçao dos "mouros"...que cambada de safardanas !

    Somos todos burros, inteligentes são aqueles que visitam centro de estágios de arbitros, escolinhas, e restaurantes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso ficou provado, ou foram alucinações provocadas pelo pó de talco dos pneus do LFV?

      Eliminar
    2. Ficou: o Donato e o Isidoro, por exemplo, eram meus vizinhos, isto é, dos meus pais. Bom, sejamos rigorosos: o Donato era, o Isidoro trabalhou com o meu pai.

      Eliminar
  6. Carlos, eu que costumo ser perspicaz ainda não encontrei um defeito no Miguel Guedes. O homem até a criticar é amoroso. A cantar nem se fala, a cara, os olhos, o sorriso, o homem até cora), o físico tudo nele é um encanto. Além de falar também bem não é que também escreve belas crónicas?! Por favor encontre-me um defeito naquele homem. É que mesmo sendo fanático do FCP, isso nele não é defeito...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vá lá, pelo menos há um tripeiro que a Anfitrite não esmaga de desprezo

      Eliminar
    2. Carlos, eu não desprezo ninguém. Até gostei de toda as pessoas que conheci do Norte e do Porto em especial. Do FCP só detesto o Pinto da Costa, devido à sua maneira arrogante e de não considerar a sua vida muita limpa. Não tenho nada a ver com isso mas eu não consigo separar a pessoa dos seus actos. também não gosto do Vieira e do carvalho acho um palhaço. Também fico espantada como as pessoas podem perder a razão e a calma quando falam de futebol. Também não vejo jogos, o que sei é depois de ouvir notícias ou comentários.

      Eliminar