terça-feira, 31 de outubro de 2017

Conversa da Treta sobre Poupanças



Hoje assinala-se o Dia Internacional da Poupança. Já todos sabem o que penso dos "Dias de..."  pelo  que  me abstenho repetir mas, sobre o espanto veiculado pela comunicação escrita, falada e televisionada quanto ao facto de sermos um dos povos menos poupadinhos da Europa, vou deixar aqui registadas as três causas que me parecem justificar essa condição:
1- Os portugueses não poupam, porque não confiam nos bancos nem nos banqueiros.
Andar a poupar para quê? Para os Salgados e os amigos do Cavaco ficarem com o dinheiro das nossas poupanças e viverem regalados à custa do esforço de quem trabalha?

2- Os portugueses não poupam porque, no contexto europeu, a generalidade  ganha miseravelmente.  
Se a maioria dos portugueses ganha salários que apenas asseguram ( e mal) a sua subsistência, como pode poupar?

3- Os portugueses que têm condições para poupar não o fazem porque "são um estorvo e uma despesa"
Confusos? Eu explico. Se estão bem lembrados ( ainda ontem aqui escrevi sobre a personagem) o Hugo Soares, secundado por um grupo de jovens da JSD, diz que os " velhos são um estorvo e uma despesa"-
Ora digam-me lá quem é  o tipo que vai poupar, para ser internado pelos filhos/netos  num Lar manhoso, onde esperam que ele morra mais depressa para se apoderarem das poupanças do "velho/a"?  

Portanto, se querem que os portugueses poupem,  os bancos que valorizem as suas poupanças pagando juros decentes, em vez de lhes extorquirem as reformas e salários com taxas, taxinhas, comissões e outros expedientes de gamanço modernaço. Perceberam, ou precisam de um desenho?

4 comentários:

  1. Está muito bem explicado,e assino por baixo!

    ResponderEliminar
  2. Só os que não tinha a mania de viver acima das suas possibilidades é que poupavam. A classe média deixou de existir. Os juros não compensam, pelo contrário tenhamos o dinheiro que tivermos atá pagamos para ter o dinheiro à ordem (A Dinheiro E Direitos hoje fala dos milhões das comissões bancárias). Os mais ricos sempre trnsferiram o dinheiro para onde pagavam menos, ou nada e rendiam mais, ou em aplicações especiais. Deve lembrar-se do tempo em que os bancos emprestavam dinheiro para as pessoas fazerem aplicações nas suas acções e noutras coisas e alguns ficaram a arder. Não poupamos? Somos o país onde há mais proprietários por metro quadrado, pois não havia alugueres de casas para se morar!
    Lares manhosos? Veja as residências seniores que se têm construído e estão todas ocupadas. Manhosos são os da segurança social e não há vagas e os clandestinos para onde vai quem não tem família, ou a família não tem sentimentos. Hoje preferem que eles estejam todo o dia fechados em casa porque ficam com as pensões (e isso talvez tenha sido um certificado de vida para muitos idosos, por enquanto), ou então abandona-os nos hospitais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há dias escrevi sobre a desobediência de 77 lares que foram mandados encerrar pela Seg Social, mas continuam em funcionamento. Conheço bem as causas do encerramento de alguns e eu próprio testemunhei situações inenarráveis quando, há anos, fiz um trabalho sobre Lares de Idosos. Há muitos lares bons, mas a maioria é uma negociata de gente sem escrúpulos.

      Eliminar