terça-feira, 1 de agosto de 2017

Reflexões em tempo de silly season

Imagem roubada, com a devida vénia,  ao blog Frasco de Memórias


Neste primeiro dia de Agosto, que muitos insistem em marcar como o início da " silly season", sou obrigado a admitir que estou prestes a capitular.
Cansado da política suja dos últimos meses, começo a sentir no ar um odor putrefacto, prenunciador de tempos de vingança que se aproximam.
Sinto saudades do tempo em que a Política enobrecia, porque os políticos, independentemente da ideologia, se preocupavam com o país e com as pessoas . 
Hoje, olho em volta e o que vejo a Política reduzida à prossecução de interesses mesquinhos e partidários. 
Acredito que Catarina Martins está a ser honesta quando exige ao governo que cumpra os acordos que assinou com o BE;
Acredito que ao aliar-se ao PSD e CDS em algumas matérias, o PCP esteja a ser genuíno e não a fazer politiquice barata;
Não posso é compreender quais os pontos comuns entre o PCP e gente  com objectivos obscuros e um passado tão vergonhoso como Passos Coelho, Hugo Soares ou Carlos Abreu Amorim;
Não consigo aceitar que o PCP se alie  ( mesmo que pontualmente) a dois partidos que venderam o país ao desbarato e tanto fizeram sofrer quem trabalha ou vive dos parcos rendimentos da reforma;
Decepciono-me quando vejo no PS alguns tiques de autoritarismo e uma postura de "nós ou o caos";
Desiludo-me quando vejo organismos de Estado com medo de aplicar aos mais fortes a mesma lei que aplicam aos mais fraco, porque receiam consequências eleitorais; 
Enojo-me com algumas nomeações para cargos dirigentes da administração pública, porque demonstram que este PS não aprendeu nada nesta matéria;
Prevejo a campanha eleitoral  que se avizinha  como mais uma oportunidade para os partidos contarem espingardas, lavarem roupa suja e não para lutarem pelo que é melhor para o país e para os portugueses;
Vislumbro no horizonte dias muito difíceis para o país mas, estranhamente ( ou talvez não...) admito, enfim, que o povo português não merece a geringonça que tem. A democracia é algo que lhe é muito estranho e com a qual convive mal, pois só vê o lado dos direitos e sistematicamente esquece os seus deveres. Individuais e colectivos, sublinhe-se 
Posto isto, o melhor é fazer uma pausa na política portuguesa e devolver  ao CR ( prestes a completar 10 anos)  o espírito de Verão com que nasceu. 
Como? Daqui a poucas horas vão começar a ver. Até já. 
Para quem está ou vai de férias, os meus votos de que sejam boas, felizes, retemperadoras e com muita saúde.
E, já agora, desculpem qualquer coisinha.

3 comentários:

  1. Creio ter lido por aí na comunicação social que na actual legislatura o PSD e o CDS, liderados por Coelho e Cristas, voltaram a favor do ou com o PS, por vezes em questões estratégicas, que mereceram o voto contra do PCP, BE, PEV.

    ResponderEliminar
  2. "Sinto saudades do tempo em que a Política enobrecia, porque os políticos, independentemente da ideologia, se preocupavam com o país e com as pessoas."
    Onde é que eu assino?
    O que vou vendo e ouvindo já dá vómitos, caramba.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também a mim, Pedro. Cansei. E nem imagina o que é estar aqui no Estoril a suportar uma pré campanha. unca esperei escrever isto, mas é assim que me sinto:Fartinho da Silva. Abraço

      Eliminar