quarta-feira, 9 de agosto de 2017

O futebol é como os eucaliptos



Se hoje sou um fervoroso adepto de atletismo, a responsabilidade é da  RTP que, desde os meus tempos de miúdo, transmitia quase na íntegra as principais competições: jogos olímpicos, mundiais e europeus.
Foi na RTP que "conheci"  grandes atletas  como Pietro Menea, Sebastien Coe,Javier Sottomayor, Juantorena,Sara Simeone, Carl Lewis. Bob Beamon, Moses, Calvin Smith,  Cova, Tatyana Kazankina, Olga Bondarenko, ( as unhas de) Florence Griffith , tantos outros cujos nomes agora não me ocorrem. 
Foi na RTP que vibrei com as vitórias de Carlos Lopes, Rosa Mota ou Fernanda Ribeiro  e foi para ver Fernando Mamede  desistir em  várias provas em que era favorito, que fiquei acordado madrugadas dentro.

Sou do tempo da televisão a preto e branco, quando os comentários do  saudoso Jorge Lopes me ensinavam a perceber as várias disciplinas.
Cresci a ver atletismo na televisão em transmissões directas com muitas horas diárias que se prolongavam madrugada dentro quando os campeonatos decorriam nos EUA ou na Ásia.
É por isso com muita mágoa que constato que nem a RTP nem nenhum canal aberto está a transmitir os mundiais de atletismo de Londres.
Eu sei que a RTP perdeu Luís Lopes  ( o melhor comentador português de atletismo) para a Eurosport, mas isso não é justificação para nos privar de um espectáculo com grandes tradições e onde participam atletas portugueses com pretensões a subir ao pódio.
A ditadura do futebol está a  asfixiar o desporto. Como um eucalipto que seca tudo à sua volta, o futebol está a expulsar  as outras modalidades dos canais em sinal aberto.
Recuso-me a aceitar isso como facto consumado. A RTP tem de explicar  porque priva milhares de telespectadores de  uma  modalidade que já trouxe inúmeras alegrias a Portugal  e é uma das favoritas dos portugueses.

1 comentário:

  1. Uma pena porque o atletismo, na sua multiplicidade, consegue oferecer momentos únicos de espectacularidade.

    ResponderEliminar