sexta-feira, 25 de agosto de 2017

É p'ró menino e p'rá menina




A Porto Editora  foi acusada de discriminação por ter à venda  uns livros de exercícios  ( na foto)  que, alegadamente, consideram as meninas mais limitadas de raciocínio.

A cor rosa para meninas e azul para meninos também é considerada discriminatória.
Estou habituado a estas indignações. Ainda me lembro da polémica  que estalou por causa de umas refeições da Mc Donalds  e da reacção bacoca, arrogante, sectária, ditatorial e patética da então secretária de estado para a Igualdade, Catarina Marcelino ( insisto na pergunta: por que razão estas coisas da Igualdade são sempre dirigidas por mulheres?)
Nestas ocasiões eu lembro sempre que nenhum paí, ou mãe, é obbrigado/a a comprar os livros "sexistas" ou  discriminar as refeições de filhos/as.m
No entanto, já me preocupo quando não obstante a campanha contra os brinquedos de guerra, uns pais levam uma filha de 9 anos para aulas onde aprende a manejar uma metralhadora. Ainda por cima, a coisa acabou mal, com a miúda a matar o instrutor.
Curiosamente, não me lembro de ter havido tanta indignação nessa altura. Quiçá a vida de uma pessoa seja menos importante do que a discriminação de género.

2 comentários:

  1. E o Matthias (3 anos) gosta apenas de PINK.

    ResponderEliminar
  2. Vi ontem o documentário sobre os papás norte-americanos que mentalizam os seus filhos (crianças9 e os levam a treinar e a levar com esticões nas bochechas. E os que sofrem as pessoas que se querem manifestar sobre um dos maiores lobbies de armas americanos. Nunca vi gente mais imbecil.
    Realmente quando vejo estes fanatismos apetece-me fazer certos comentários sujeitando-me a um monte de piropos. Eu por acaso nunca gostei de cor-de-rosa. E não foi por me vestirem dessa cor. Preferiam o azul por causa da cor dos olhos e do cabelo. Eu gosto muito do amarelo deve ser por ser cor da preguiça, segundo dizem. Boneca que me oferecessem era logo decapitada. Em contrapartida agarrava-me aos balcões dos expositores nas feiras e enquanto não me dessem um carrinho ou daqueles passarinhos de madeira que batiam as asas ao rodar não me calava. As pessoas são mesmo imbecis!!!! porque não pensam como eu.

    ResponderEliminar