sexta-feira, 7 de julho de 2017

Memórias em vinil (CLXXIX)

E não é que encontrei este 45 rpm perdido no meio de dezenas de Lps?
Vejam só o que eles fizeram à canção da rapariga!
Tenham uma boa noite e excelente fim de semana

4 comentários:

  1. Há quanto tempo eu não ouvia esta canção!

    ResponderEliminar
  2. Se cada um de nós pensasse na canção que supôs sua e no quanto ela não é o que sonhou ou desejou...muito haveria de queixas pelo mundo. Mas acontece que a canção é real e deve ser mesmo para não coincidir com o sonho e mudar, mudar, mudar. Talvez interesse apenas que a vamos entoando. Com alma. E até que a voz nos doa (ou pare, finalmente, de doer).

    ResponderEliminar
  3. Também não conhecia, mas prefiro a canção francesa, que o Carlos escolheu no dia de aniversário da pessoa amada.

    Os gostos não se discutem. O Guterres adormeceu no concerto para os convidados do G20.

    ResponderEliminar
  4. Bem me lembro dessa canção, nessa e noutras versões. Na da malograda Dalidah: ils ont changé ma chansom, ma...

    Muito bonita!

    ResponderEliminar