sexta-feira, 28 de julho de 2017

Agora, o lado bom

Ontem, confessei as saudades que tenho do Outono. 
Hoje é dia de fazer outra confissão: viver à beira mar é um privilégio para quem está reformado. Aqui apercebo-me da sucessão das  estações do ano, porque cada uma delas tem efectivamente características  bem marcantes de que nos vamos apercebendo dia após dia. Na cidade essa percepção é diferente e mais abrupta. Quando damos por nós dizemos "já estamos outra vez no Inverno!"
À beira mar, a debandada das pessoas,  o encerramento de estabelecimentos e o desaparecimento de toldos e guarda sóis,  deixando ver  novamente o areal,anuncia a chegada do Outono. 
Quando a  força do mar obriga a criar dunas artificiais para evitar a invasão das águas, sabemos que estamos no Inverno. A felicidade de poder ver o mar  alterar-se diariamente entre a fúria e a calmaria, atenua substancialmente as depressões invernosas.
Quando o paredão começa a ganhar outra vez vida, reabrem estabelecimentos e se pressente a azáfama das limpezas, é porque chegou a Primavera  e se anuncia um novo ciclo. Que culminará com nova enchente nas praias, o reaparecimento de nadadores salvadores, dos toldos e das cores garridas  ponteando o areal.
No campo, ainda que de forma diferente, a sucessão de estações também é sentida por quem lá vive mas na cidade as alterações climáticas e a forma de vestir são as duas sinaléticas que distinguem as estações. Pelo menos é assim que sinto o pulsar da vida nas cidades. E os meus caros leitores? Pensarão o mesmo, ou nem por isso? 

12 comentários:

  1. O qu eu penso?!
    Não quero falar nem pensar no outono e muito menos no inverno. Sinto que os dias estão a ficar mais pequenos. Temos tido um julho chuvoso. Tenho passado pouco tempo lá fora no meu quintal/jardim devido ao tempo. Ainda não fui à praia este ano. Só tenho feito piscina e porque a água é aquecida. É de fugir de uma algarvia sem praia e sem sair do país ou da província o ano inteiro!! Mas há condicionalismos filiais que devem ser observados.
    : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o lado mau, Catarina. Também detesto dias pequenos. Espero que os condicionalismos não sejam graves...

      Eliminar
  2. Gosto de sentir as quatro estações mas a minha preferida é a Primavera pelas flores, pelo clima e pela sensação que tudo vai melhorar: os dias a crescer e a temperatura a aumentar sem os exageros do Verão que na minha zona é de grandes exageros: ondas de calor, que detesto e vendavais desgovernados que ninguém gosta (penso ,eu)!
    Posso dizer que onde vivo de Setembro a a Dezembro são meses que nos últimos cinco anos têm sido gloriosos com temperaturas amenas, dias de sol possibilidade de ir à praia e sem vento nenhum.
    Invernos chuvosos e Verões ventosos é tudo o que eu não gosto :))
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha também é a Primavera, papoila. E pelas mesmas razões.

      Eliminar
  3. Vivo numa lindíssima zona campestre, onde a floresta e a abundante água são rainhas e aqui apercebo-me bem da mudança das estações.
    Agora, reformada e liberta do cumprimento de horários e afazeres profissionais, em que uma chuva torrencial (onde está ela?),ou uma caloraça interferem pouco ou nada com o meu dia-a-dia, dou comigo a sentir prazer na mudança de todas as estações e a gostar delas de igual forma. E isto é espantoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então deve ser problema dos reformados, Célia, porque sinto o mesmo prazer:-). De qualquer modo, não gosto de todas da mesma forma.

      Eliminar
  4. Quando vivia em Portugal sonhava com um verdadeiro Inverno com as ruas cobertas de neve. Quando cheguei à Alemanha adorei o Inverno, embora em Düsseldorf não seja tão rigoroso como, por exemplo, em Berlim ou Munique.

    Após a minha última pneumonia, ODEIO o Inverno.

    Bom fim de semana com muito carinho à beira-mar 🏖

    ResponderEliminar
  5. Em cada estação me encanto e em cada estação me aborreço. Enquanto não muda o tempo, queixo-me do tempo... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quase aposto que durante o Verão tem a mesma sensação que eu, Luísa. Ou não?

      Eliminar