quinta-feira, 16 de junho de 2016

O meu momento cota



Sinto imensos calafrios quando ouço Donald Trump reagir ao massacre de Orlando, dizendo que irá banir a entrada nos EUA de imigrantes muçulmanos. O homem ainda não percebeu que o autor do massacre era um cidadão americano? Se Trump vier a ocupar a Casa Branca, preparemo-nos para o pior. Um ignorante, fanático e louco como Trump, nunca terá consciência das consequências de acionar o arsenal nuclear. Para ele, carregar no botão vermelho será como estar a ver uma daquelas séries americanas  de televisão, onde a violência gratuita impera, se disparam 300 tiros por segundo e no fim ganham sempre os bons.  Ou apenas mais um jogo de guerra da Play Station.
Diga-se, em abono da verdade, que Hillary Clinton também não deixa ninguém sossegado. É perceptível que está tão atarantada quanto qualquer comum mortal e não tem a mínima ideia do que irá fazer para evitar ou prevenir novos ataques. A proibição de venda de armas é uma medida positiva, que se saúda na Europa, mas não é do agrado dos americanos. Além disso, quem conhece os EUA, sabe que a medida não resolve o problema. Será sempre muito fácil comprar armas em terras de Tio Sam. O preço é que poderá disparar.
E agora, o meu momento cota:
- Se não fossem tão lerdos, já todos os americanos teriam percebido onde está a origem da violência que ameaça os EUA e a Europa. Bastava seguir o método  Joachin Low e encontravam a resposta no seu enorme umbigo. A isso se chama provar do seu próprio veneno.

11 comentários:

  1. Claro que já conhecia, Carlos.

    Prefiro que ele mexa nas partes mais baixas do que a seleção alemã não ganhe o jogo desta noite contra a Polónia ou, que ele tenha sido morto na discoteca "gay" em Orlando ou até mesmo na França.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...'mais' baixas, Emantejoca? Há outras baixas, mais em cima?

      Eliminar
    2. Joachim Löw, pediu desculpas pela situação constrangedora gravada durante o jogo de estreia de sua equipe na Eurocopa. Jogi afirmou que não estava completamente consciente de suas ações quando foi filmado colocando a mão dentro da calça e levando-a depois ao nariz.

      Eliminar
    3. Quanto a mim, não tinha nada que pedir desculpas, porque não me parece que seja assim tão terrível, mas enfim...
      Apenas chamei este caso à colacção para exemplificar com o que acontece com os americanos. Se eles mexessem nas partes baixas da sua sociedade do divertimento e bem estar encontrariam a explicação da violência que assola o país. Reduzir tudo à venda livre de armas ( claro que sou favorável à proibiçao) é muito redutor

      Eliminar
  2. Parece que este seu momento 'cota' não esteve lá muito bem, ó Carlos!!
    Às tantas, ainda não é suficientemente cota...o Carlos, claro, digo eu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, Janita. Mas a explicação para este fiasco não reside no facto de ainda não ser suficientemente cota, mas sim em já ter ultrapassado essa barreira... a caminho da senilidade.

      Eliminar
  3. Ca nojo! O Trump e este Jaquin... :P

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joaquim Löw é um homem muito educado e com um comportamento sempre impecável, nunca o ouvi dizer uma asneira dentro do campo. Jogi não estava consciente do que estava a fazer devido à adrenalina que um europeu provoca aos treinadores, aos jogadores e aos fãs.

      Eliminar
    2. Apesar de tudo, antes o Jaquin, Teté. Pelo menos o arsenal nuclear dele não será tão mortífero :-)
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Ontem passou na RTP3, num nos DOC3, um programa muito interessante sobre a origem da bola e sobre a atracção pelo que é redondo, além de explicar porque é que os americanos não gostam de jogos de fubebol à nossa maneira. vale a pena ver.

    ResponderEliminar
  5. Trump é profundamente estúpido, Carlos.
    E, com gente assim, é impossível ter uma conversa racional.

    ResponderEliminar