quarta-feira, 4 de maio de 2016

Pontualidade

Os portugueses nunca foram pontuais. Chegam atrasados a tudo e têm a mania de deixar as coisas para o dia seguinte

7 comentários:

  1. Realmente!! Pode parecer incrível mas só agora ao ler o artigo, soube o significado desta coisa do dia seguinte.
    Pensava que fosse justamente o contrário. Aquilo de "mais vale prevenir do que remediar" perdeu a actualidade.
    Se bem percebi é um pouco como o facilitismo do 'compre agora e pague depois'. Nada de preocupações: amanhã é outro dia...

    Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós nunca tivemos 15 ou 16 anos e a liberdade actual, saídas nocturnas, álcool, companhias do mais vário, das virtuais às que se encontram na night. Nós não tivemos de assumir responsabilidades numa idade em que ainda não há maturidade para tanto (hoje pede-se maior responsabilidade a quem, sabemo-lo, amadurece mais tarde). E há momentos levados da breca, quando as hormonas saltam por tudo quanto é sítio e o álcool ou o ambiente ajudam.
      Não estou senão a tentar entender razões; é sem desculpa ou culpa. Os filhos sempre se criam. Com mais ou menos esforço. Mas há futuros que se truncam devido a bocados que por vezes nem bem passados são. Há que educar. Para que as pílulas sejam a excepção e não a regra e não se tornem o "compre agora, pague depois". Mas dá-las a conhecer é fundamental. E acompanhar sem moralismos estéreis também. A responsabilidade não começa com o sexo. Começa muito antes e faz-se sempre acompanhar do amor que temos por eles. E sim, faz parte da função dos pais ensiná-la desde cedo.

      Eliminar
  2. É um assunto muito sério em que as mulheres são as principais vítimas, pelos danos na saúde que irão sofrer. Segundo uma reportagem que vi em tempos a maioria delas são vítimas de homens que têm relações extraconjugais e já vão com a pílula no bolso e que as obrigam a tomá-la para não terem problemas futuros de uma possível gravidez e de chantagem. Pena é que não contraiam uma doença venérea em que tivessem de sofrer muito. Também haverá muitos jovens inconscientes. Quando entrevistados dizem que a ciência vai encontrar soluções para tudo. Nos tempos que correm, para mim, quem tiver uma relação sem protecção é um inconsciente. Acreditem que já não se pode confiar em ninguém. Por isso é nas mulheres mais velhas que a SIDA está a aumentar porque os maridos as traem com muitas prostitutas, a quem obrigam ter relações sem protecção e até pagam mais para isso. Mas já há muitas que se recusam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sei se a resposta à sida nas mulheres mais velhas é assim tão linear, Anphy.
      Quanto à pílula do dia seguinte, o artigo também diz que o aumento das vendas coincide com a retracção na IVG. Parece-me, ainda assim, preferível. E olhe, eu aconselhei-a muito. Não é agradável ver jovens quase crianças grávidas e amarradas a uma criança. Para já não falar de casamentos parvos e sem sentido.
      Só espero que a juventude tenha tento. E a pílula do dia seguinte seja uma excepção. Mas quis que conhecessem a excepção.

      Eliminar
    2. Bea, eu não ignorei a frase. Mas não sei por que razão ela lá foi posta. Pode ser que tenham sido geradas menos crias, mas também pode ser que tenham sido feitas noutros lados. Não se esqueça da burocracia que isso cá implica e o tempo a passar, mais barato noutros lugares, a falta de médicos e tantas outras razões. A inseminação ainda não é cá permitida mas quem quer vai a Espanha. É só um pulinho e tentam as vezes que for preciso. Por outro lado não me parece que quem não tenha o cuidado de ir a um super ou uma farmácia comprar um preservativo se lembre de levar a pílula consigo para obrigar alguém a tomar. Até porque sai mais caro. Será só pelo gozo maior?
      Admito que haja casos de esquecimento ou por qualquer outra razão alguém tome essa precaução. Agora por prevenção não acredito. Só as mulheres inconscientes devido aos problemas que isso lhes acarreta. São piores do que célebre pílula inicial, que libertou muitas mulheres. Por isso foram reduzindo os ingredientes mais prejudiciais.
      Também não sei se reparou no comentário que uma avó fez aqui que parece desconhecer a existência dessa pílula e olhe que não é analfabeta.

      No caso das mulheres mais velhas, em que eu estava a pensar é verdade. Se há outras que arriscam por várias razões, até por variações hormonais isso é outra história, mas não deixa de ser ingenuidade, para não lhe chamar outra coisa. Pessoalmente eu acho que se agora estivesse a viver a maior paixão da minha vida não arriscaria com ninguém, mesmo que eu andasse com ele pela trela.

      Eliminar
  3. Anphy
    estou-me nas tintas para as paixões sejam elas grandes ou pequenas. Mas salvaguardar quem é jovem é um dever nosso. Dos mais velhos, quero dizer. Se as avós desconhecem a pílula do dia seguinte...é mais ou menos natural, mas deviam saber que existe, quem sabe podiam ajudar alguém. Concordo com a prevenção e a educação em casa, nas escolas e onde seja e saibam qualidades e danos da pílula do dia seguinte. Quando uma garota engravida na escola a única coisa que penso é que muda drasticamente de futuro. E o quadro parece-me quase desumano.

    ResponderEliminar
  4. Antes a pílula do dia seguinte do que abortos escondidos, feitos em vão de escada, ou crianças indesejadas por pais imberbes e irresponsáveis.

    ResponderEliminar