sábado, 14 de maio de 2016

Era bom esclarecer isto...

Nem tudo é claro neste caso mas, havendo situações semelhantes noutras escolas, era bom que ficasse esclarecido, de uma vez por todas.
Escola privada com contrato de associação recusou  aceitar miúdo com multideficiência- diz mãe da criança.
Mentira- diz a escola.
Adivinhem só onde ele foi parar. À porcaria da escola pública, claro...

4 comentários:

  1. Inadmissível a atitude dos responsáveis por essa escola.

    ResponderEliminar
  2. Toda a gente sabe que eles não aceitam alunos com dificuldades de aprendizagem que é para ficarem melhor classificados, a não ser que sejam filhos de algum empregado, ou filhos de antigos alunos, que mereçam essa consideração.

    ResponderEliminar
  3. Há tantos casos tristes, em vários aspectos, só que as pessoas são aconselhadas a calarem-se para evitar represálias.

    ResponderEliminar
  4. Sempre foi assim! A "minha" escola foi inclusiva desde muito antes de se falar em escolas inclusivas. Lembro-me de aí por finais de 90, ter tido uma discussão feia com o Padre diretor de uma dos Colégios "de referência" de Fátima que se recusava a receber um aluno cego. E em Fátima não há escolas públicas, por isso o senhor prior, cheio de caridade cristã, queria que o miúdo se metesse todos os dias na camioneta para Leiria. Filho de uma cadela!!!

    ResponderEliminar