segunda-feira, 7 de março de 2016

Não é apenas uma questão de ética...

A fervorosa defesa que Passos faz de Maria Luís Albuquerque,  aliada à sua eleição para a liderança do PSD com 95% dos votos,  não são apenas a prova de que a falta de ética e de vergonha assentaram arraiais na tribo laranja.
Ali,onde Relvas tem apoiantes entusiastas, Cavaco se rodeou de gente de mau porte, suspeita de graves crimes contra o Estado e o próprio Passos está envolvido em suspeitas de ter lesado o Estado por  utilização indevida de verbas do FSE, honra e vergonha são palavras supérfluas. No PSD perdeu-se toda a dignidade, a mentira passou a ser  a regra e toda a falcatrua é possível. 
Admito, por isso, que a forma empolgada como Passos saiu em defesa da sua ex-professora, significa que em breve também ele irá dar o salto para um tacho pouco ético.
Sejamos, no entanto, claros. Se casos como o de Maria Luís Albuquerque são possíveis, é porque PS e PSD sempre se recusaram a aprovar uma lei de incompatibilidades que evitasse casos destes.
Chegou a altura de António Costa - e o PS- demonstrarem que alguma coisa está realmente a mudar em Portugal com este governo. Aprovar uma Lei que devolva aos portugueses a credibilidade nos políticos é uma das maiores heranças que um governo de esquerda pode deixar à democracia. 

19 comentários:

  1. O Pedro Passos Coelho tinha duas escolhas, dizia o que sentia ou renegava a Maria Luís Albuquerque só porque ficava bem. Escolheu dizer aquilo que sentia.

    Infelizmente os políticos estão todos no mesmo patamar. Não penso que alguém se destaque pela positiva. Há muito cadáver na cave do PS.

    A tuga de sempre, Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A forma desvanecedora como a Teresa defende sistematicamente o Passos Coelho é muito intrigante. Compreendia-a numa direitolas fascista, mas numa comunista é realmente perturbador.
      Quanto aos cadáveres existentes no PS, estou totalmente de acordo e reconheço isso mesmo, quando culpo ambos os partidos por esta situação. No entanto, enquanto o PS de Costa é manifestamente diferente do de Sócrates, no PSD generalizou-se e alastrou como uma nódoa o compadrio, a corrupção, a falta de ética e de valores. Meter tudo no mesmo saco, só por ignorância ou má fé.

      Eliminar
    2. Não sou, nem uma direitolas fascista, nem uma comunista, Carlos.

      Ignorância ou não, é a minha opinião... até rima.

      Eliminar
    3. Peço desculpa, mas não sabia que tinha mudado a sua simpatia política, que há tempos divulgou na caixa de comentários.

      Eliminar
    4. É o típico emigrante. É o que penso.

      Eliminar
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    7. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    8. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    10. TAMBÉM EU meti a pata na poça ao responder à Anfitrite.

      Carlos, desculpe esta tempestade num copo de água.

      Eliminar
    11. Não tem nada de pedir desculpa, Ematejoca. Conhecemo-nos há quase uma década e sei interpretar bem o significado das suas palavras. Mesmo quando me parecem ter vindo de outra pessoa, que não da minha amiga de Dusseldorf.

      Eliminar
  2. Os anjinhos foram todos para o PS, que é um exemplo de honestidade. Os ladrões ficaram na tribo laranja...

    AR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toda a gente sabe que a ética é monopólio chucha. A começar em Vara e a acabar em Sócrates, passando por Rosado Correia.

      AR

      Eliminar
  3. O PS tem de pôr cá fora essa lei, e acabar de uma vez por todas com este ciclo vicioso, vergonhoso e ilícito de gente que sai de ministro directamente para as empresas ou bancos que privilegiou enquanto ministro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Totalmente de acordo. Só assim marcará a diferença. Se mantiver as coisas como estão, será cúmplice e perderá credibilidade.

      Eliminar
  4. Carlos, já existe alguma legislação mas é muito difícil aplicá-la. Para ter pessoas com craveira intelectual e cívica, a todos devia ser proibido acumulações, porque haverá quase sempre conflitos de interesses. talvez se salvem os professores. mas com advogados e desde que apareceram os "outsourcing" estamos tramados. ficaram sem os melhores funcionários da AP para entregar a estranhos por valores inconcebíveis (podia dar-lhe exemplos). Os advogados dão pareceres a defender os seus interesses e os das empresas que representam. O zézinho que estava na SSocial trabalha no escritório do irmão, de que também é sócio principal o impoluto nobre guedes. Enfim estamos numa camisa de onze varas: ou temos um paramento decente, onde não haja só aqueles que carregam no botão e estariam possivelmente desempregados, e meia dúzia de craques, ou não nos safamos. É importante reformular o Parlamente. mas agora não há maiorias para isso.
    Quanto ao caso desta vendida, seria caso para ser escorraçada porque ela não tem um pingo de vergonha. É uma pulha e uma mentirosa compulsiva. nem conseguiu tirar o curso numa universidade pública e acabou sendo professora dum aluno muito mais velho do que ela. como o Portas se deve estar a rir...

    ResponderEliminar