quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Vem aí borrasca?

Isto andava tudo muito calmo, mas já há dias me palpitava que vinha aí  borrasca. Não tanto pelo alarido que a oposição, bem apoiada por grande parte da comunicação social, anda a fazer por causa das críticas e exigências de Bruxelas ao OE para 2016. Apesar de considerar exagerada a dramatização que a direita vem fazendo, aceito-a como normalidade dentro de partidos de anormais, cujos deputados europeus pagos principescamente, vão para o PE denegrir o nome do país.  Estou convicto que no final vão meter a viola no saco e, com muita amargura, reconhecer ( apenas internamente, claro...) que António Costa conseguiu negociar, coisa que eles nunca fizeram. Não por não poderem, mas sim por não quererem. Ora, se isso acontecer, será a primeira grande vitória de Costa.
A borrasca a que me refiro no início deste post tem outra origem que surpreenderá alguns mais distraídos, ou bem intencionados, mas não a mim.
Vendo a oposição calada e a sua candidata a Belém humilhada, os seguristas decidiram passar ao ataque.
Assis, Beleza e comandita, adeptos fervorosos do Centrão disparam em todas as direcções, com o objectivo de derrubar este governo e forçar um entendimento do PS com PSD e CDS.
Há uns meses, escrevi aqui que muitos seguristas não votariam PS nas legislativas. Alguns leitores indignaram-se e criticaram-me. Espero que perante a postura de alguns destacados elementos do segurismo, já tenham percebido que eu estava mesmo a dizer a verdade.
Só me espanta é que sendo os seguristas tipos tão inteligentes, que afirmam conhecer o sentir dos portugueses e o seu apreço pelo Centrão, ainda não tenham percebido que o PS ou se assume como um partido de esquerda, ou não tem nada a oferecer aos eleitores, porque não se diferencia do PSD. E, assim sendo, a tendência será para desaparecer.

4 comentários:

  1. Os Seguristas não vão longe.
    Não tarda, começarão a 'comerem-se' uns aos outros.

    ResponderEliminar
  2. É uma análise bem analisada!
    mas há uma contradição não ultrapassada:

    será possível sair do paradigma do empobrecimento e permanecer no euro?

    e depois Costa, só, não ganhará nada
    ou terá apoio ou sai de mala aviada

    ResponderEliminar
  3. Na "mouche" para quem dentro do PS não percebe, apesar de tudo, que Costa está a tentar fazer a quadratura do círculo !

    ResponderEliminar
  4. E continua a luta fratricida dentro do PS.
    E essa não é estimulada de fora para dentro, Carlos.

    ResponderEliminar