quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Quem cala consente

A minha opinião em relação a Sócrates não mudou um milímetro.  Nunca fui fã do ex- pm, mas continuo sem saber se ele é culpado ou inocente. Como digo desde o princípio, há qualquer coisa na forma como este processo se tem desenrolado ( e não me refiro apenas às constantes fugas de informação que ninguém investiga, pura e simplesmente porque não quer) que cheira a esturro e já merecia uma resposta do MP há muito tempo. 
As entrevistas das duas últimas noites à TVI adensaram a minha desconfiança quanto à transparência deste processo.Além de ser inadmissível que a Justiça continue a obstruir o acesso da defesa ao processo, as acusações feitas por Sócrates ao Ministério Público são gravíssimas. A serem falsas, já deveriam ter sido desmentidas mas, até pela posição assumida pelo inspector tributário Paulo Silva em relação à  responsabilidade das fugas de informação para a comunicação social,fica a sensação de que há alguém com o rabo trilhado e por isso ninguém investiga a fonte das fugas de informação.
As acusações,repito, foram gravíssimas e Sócrates desmontou de forma demolidora algumas "provas" que têm vindo a público ( nomeadamente o favorecimento ao grupo Lena). Se não houver um desmentido formal do MP  começo a ter fortes razões para acreditar que Sócrates está a ser vítima de um processo tenebroso. É que quem cala consente e a Justiça não pode ficar sob suspeita de agir por vingança ou, quiçá, para satisfazer certas clientelas ou poderes. E muito menos pode dar-se ao livre arbítrio de acusar uma pessoa em praça pública, prendê-la e só formular a acusação quando lhe apetecer. Não é comportamento próprio da Justiça num estado democrático, mas sim numa república de justiceiros, onde os agentes da justiça agem com a maior impunidade, acobertados pela máxima embusteira do " à justiça o que é da justiça"
Pronto, está bem, eu sei que um sindicalista  veio a público prestar declarações à LUSA, mas teria sido melhor estar calado porque não tendo Ventinhas nada a ver com o processo apenas enterra mais o MP e avoluma suspeitas sobre a iniquidade e propósitos deste  processo que tem servido, essencialmente, para cobrir de ridículo a nossa Justiça

5 comentários:

  1. Embora não concorde com o dito popular (às vezes não vale a pena entrar em discussão), concordo com tudo o que escreveu aqui. E ao ficar calado o MP dá uma triste noção da sua ideia de justiça. Suponho que já ninguém tem dúvidas sobre como andam a tentar tramar o Sócrates, politica e pessoalmente. Podendo ele ter culpas no cartório, note-se!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Será impressão minha ou há, em todo este processo, uma postura inenarrável da Justiça portuguesa?

    ResponderEliminar
  3. Não sabes se o Sócrates é culpado? Apresenta as provas que tens da culpa,os depoimentos indesmentíveis que o culpam! Até lá é inocente,porra! Falas como o PPD ? Que coisa irritante!|

    ResponderEliminar
  4. Carlos, se não teve oportunidade vale a pena ouvir a opinião destes senhores, com simpatias políticas diferentes, mas que concordam em absoluto e mostram o estado da nossa justiça. Até fiquei a saber porque é que as prisões mediáticas são feitas, em regra, à sexta-feira, normalmente ao fim do dia. http://www.rtp.pt/play/p2037/o-direito-e-o-avesso

    ResponderEliminar
  5. A justiça tem sido ridícula , aquela senhora com cara que já não se usa é ridícula é tudo infame é uma justiça sem vergonha nem dignidade.
    M.A.A.

    ResponderEliminar