sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Nunca regresses ao local onde já foste feliz?

Em 2004, o Chelsea era uma equipa mediana em Inglaterra e quase desconhecida na Europa. Em apenas um ano, Mourinho levou o clube ao título - que não conquistava há 50 anos- ganhou a Taça da Liga e projectou-o na Europa e só não foi finalista no ano seguinte, por causa de um clamoroso erro de arbitragem.
Além da notoriedade europeia que deu ao Chelsea, Mourinho foi o treinador que deu mais títulos ao clube londrino. Os adeptos adoram-no e, na primeira passagem pelo clube, os jogadores idolatravam-no. Um mau começo de época em 2007,- depois de nova conquista da Liga Inglesa -leva Abramovitch a despedi-lo em Setembro, perante a estupefacção dos adeptos. Vai para Itália, onde ganha tudo à frente do Inter,incluindo a Liga dos Campeões Europeus. 
Em 2013 regressa a Londres e o Chelsea volta a conquistar a Liga Inglesa no ano seguinte, mas é notório que não há entre Mourinho e os jogadores a mesma  empatia da primeira passagem por Inglaterra. 
A presente época começa mal mas, apesar dos maus resultados, os adeptos continuam a dispensar-lhe o maior carinho. Chega a ser arrepiante a manifestação de apoio dos adeptos antes de um jogo, após uma série de maus resultados. 
Alguns jogadores, porém, fazem-lhe a vida negra e manifestam no balneário o seu desagrado com os métodos de Mourinho. Há quem diga que o desentendimento do treinador português com a médica/massagista, Eva Carneiro, terá desencadeado uma reacção do balneário, privado de alguns favores prestados pela massagista. 
O certo é que os maus resultados sucederam-se e com o Chelsea apenas a um ponto da zona de despromoção, Abramovich não teve alternativa. Sem força para impor Mourinho aos jogadores, nem hipóteses de despedir algumas estrelas, optou por rescindir com o treinador que lhe deu momentos de glória.
São muitas as lições que se podem tirar desta situação, sendo a mais fácil argumentar que Mourinho está a ser vítima de uma injustiça. Não é assim tão linear. Mourinho foi vítima de um sistema que tão depressa glorifica, como crucifica, consoante os resultados, mas também de um balneário maioritariamente hostil.
Dizia ontem a um amigo que Mourinho regressará uma terceira vez a Londres e voltará a ser feliz. Ele respondia-me com a sabedoria popular:
"Nunca regresses ao local onde já foste feliz..."
Não vou por aí, mas gostava de saber a opinião dos meus caros leitores...

5 comentários:

  1. Não percebo muito de futebol, mas considero Mourinho um verdadeiro profissional. Quando se é realmente bom cria-se muitos anticorpos. Para mim acho que ele deveria voltar ao Benfica de onde nunca devia ter saído como saiu, mas não sei se tem plantel à sua altura ou possibilidades de o criar.
    Quanto ao ditado também não tenho grande experiência nesse sentido, mas acho que nada se repete e não se deve fazer comparações. Acaba-se por estragar tudo, especialmente no meu caso em que a minha memória é um amontoado de slides que não desaparecem.
    Que o fim se semana lhe seja bom é o meu desejo.

    ResponderEliminar
  2. Roman Abramovich não vai permitir que Mourinho regresse onde já foi feliz.

    ResponderEliminar
  3. "a mesma água não passa duas vezes debaixo da mesma ponte"

    duarteO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Mourinho contrariou isso no Chelsea. Foi campeão pelo Chelsea em duas passagens distintas.

      Eliminar
  4. «Há quem diga que o desentendimento do treinador português com a médica/massagista, Eva Carneiro, terá desencadeado uma reacção do balneário, privado de alguns favores prestados pela massagista.»

    A explicação está toda no trecho em cima.


    «Dizia ontem a um amigo que Mourinho regressará uma terceira vez a Londres e voltará a ser feliz. Ele respondia-me com a sabedoria popular:
    "Nunca regresses ao local onde já foste feliz..."
    Não vou por aí, mas gostava de saber a opinião dos meus caros leitores...»

    Pode acontecer. Mas terá sempre de ser sem o Abramovich a mandar no Chelsea. O que se afigura quase impossível.

    ResponderEliminar