segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Nada de confusões...

Depois de conhecidos os resultados das eleições na Venezuela, muitos órgãos de comunicação social "decretaram" o fim do "chavismo".
Lamento mais esta prova de ignorância da comunicação social tuga. Na verdade, o "chavismo" não terminou ontem, mas sim no dia em que Chavez morreu.  Foi ele que operou uma revolução social na Venezuela que tirou milhões de venezuelanos da miséria mas, infelizmente, não soube escolher um sucessor à altura e o "chavismo" morreu com ele. 
Nicolas Maduro nunca teve a simpatia nem a popularidade de Chavez porque nunca teve  carisma, nem conseguiu criar a necessária empatia com o povo. Reconhecendo isso, enveredou por um caminho antidemocrático que por vezes roçava a demência e tinha tiques ditatoriais.
Também não foi ontem, nas urnas, que a revolução bolivariana foi derrotada.  Foi quando o preço do petróleo caiu abruptamente e provocou o colapso da débil economia venezuelana e fez disparar a inflação para números inimagináveis.
Dizem ainda alguns órgãos de comunicação social que a democracia voltou ontem à Venezuela. Sobre isso não me pronuncio. Prefiro esperar para ver mas, num país com fome,  cuja economia está dependente do preço do petróleo, não me parece que a vitória da oposição seja garantia suficiente para o regresso da democracia. Maduro continuará presidente e já todos percebemos que é suficientemente louco para não respeitar as regras da democracia.

3 comentários:

  1. Chavez não era ele próprio exactamente um democrata, se bem que as eleições na Venezuela sempre foram livres e Chavez nunca tentou sufocar os media que eram críticos da sua acção. Recorde-se que ele 'começou' a sua carreira política com uma tentativa de golpe de Estado, em 1992. Mas o petro-populismo de Hugo Chavez só se tornou possível porque, como diz, até à sua eleição uma larga faixa da população venezuelana se encontrava excluída e não beneficiava da riqueza do País. E continuou enquanto o preço do petróleo se manteve alto. Tal como a Angola de Eduardo dos Santos ou a Rússia de Putin, a Venezuela depende inteiramente das exportações de matérias primas. A grande recessão de 2008 representou o toque a finados, mesmo se com um atraso relativo, deste sistema económico...

    ResponderEliminar
  2. Carlosamigo

    Mas penso que será melhor Maduro pôr o bigode de molho; mas creio que cairá de... maduro

    Abç do Leãozão

    Quero-te no A Travessa do Ferreira; fazes lá falta e o teu comentário também. Trata-se de uma ORDEM! :-))))

    ResponderEliminar
  3. Onde é que eu assino??
    Se Maduro continua como presidente, num país com a inflacção mais elevada do mundo, para quê tanto barulho???

    ResponderEliminar