domingo, 24 de maio de 2015

A primeira derrota de Francisco

A Irlanda é um dos países mais católicos da Europa, mas não foi isso que impediu o governo irlandês de avançar com um referendo sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. 
A vitória do SIM, num país católico e conservador, é um revés para o Papa Francisco, que não conseguiu ainda aproximar o pensamento da Igreja dos cidadãos.

7 comentários:

  1. Se for inteligente , aproveita o resultado para abrir mais o Vaticano...

    Bom resto de domingo, meu amigo

    ResponderEliminar
  2. Uma dúvida, daquelas para valer: qual será o pensamento correcto?

    ResponderEliminar
  3. No fundo, no fundo, Francisco deve ter ficado satisfeito...

    A Irlanda a dar uma boa lição a países como o nosso que também é muito católico mas ainda está no tempo da Inquisição....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No fundo, no fundo, o Francisco NÃO deve ter ficado satisfeito!!!

      Um cardeal do Vaticano disse que o “sim” ao casamento homossexual na Irlanda não foi uma derrota para a Igreja, mas sim, uma derrota para a Humanidade.

      Na minha opinião, os portugueses vêm o Papa argentino com óculos cor-de-rosa.

      Eliminar
  4. «o Papa Francisco, que não conseguiu ainda aproximar o pensamento da Igreja dos cidadãos».

    Como católico digo o seguinte: Nem tem que o fazer.
    Já passou o tempo em que a Igreja impunha a sua fé à espadeirada e pela inquisição. Mas também não chegamos ao tempo em que a Igreja se tem que descaracterizar completamente para agradar ao pensamento dominante.
    Quem gosta, adere ou continua na Igreja. Quem não gosta, não adere ou sai da Igreja.

    ResponderEliminar
  5. Na verdade...
    o que pensa um papa?
    Ninguém sabe

    ResponderEliminar
  6. O “sim” ao casamento homossexual alcançou 62,3% dos votos, contra 37% do “não”.

    O arcebispo de Dublin admitiu que a “Igreja precisa de encarar a realidade”.

    MAIS UMA DERROTA do Francisco!!!

    Também uma derrota do partido da minha amiga Angie, uns católicos tão falsos como o Francisco.

    ResponderEliminar