sexta-feira, 24 de abril de 2015

A greve da TAP

Se ainda não me pronunciei sobre a greve dos pilotos da TAP, é porque não tenho mais nada a acrescentar ao que escrevi em 2010:
Chamem-me o que quiserem, mas não posso deixar de dizer isto: a legislação que permite a classes privilegiadas organizar-se em sindicatos para boicotar e destruir uma empresa, equivale a oferecer uma arma a um bandido que pretende assaltar um banco. Há certas classes profissionais a quem o sindicalismo deveria estar vedado. Urge alterar a legislação e proceder à higienização da democracia que o ultraliberalismo selvagem reduziu a um conceito balofo. A greve da TAP não é luta de trabalhadores. É luta de um grupo de privilegiados que conspurcam a democracia, aproveitando de forma ignóbil ( e oportunista)os mecanismos que ela criou para defender os mais desfavorecidos.

9 comentários:

  1. Tem toda a razão. O mesmo acontece com o sindicato dos magistrados, a associação sindical dos juízes, as forças de segurança. Manifestem-se à vontade, mas não abusem do seu poder, nem ponham em risco a vida dos outros.
    De facto a TAP tem sido mal gerida por um sujeito, que ganha fortunas, que a quer destruir para benefício de outros. Mas os pilotos sempre foram uma classe privilegiada, que desde há dezenas de anos já ganhavam centenas de contos por mês, e as suas ricas reformas, na flor da idade, tem arrombado também com a SSocial.

    ResponderEliminar
  2. Absolutamente de acordo!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Finalmente algo em que estou plenamente de acordo consigo... já estava a ficar preocupada lol lol

    ResponderEliminar
  4. Carlosamigo

    Todas as greves - que felizmente, agora podem-se fazer - trazem sempre transtornos a quem quer que seja: aos grevistas e aos cidadãos. Os trabalhadores não se agrupam em privilegiados ou em comuns (desgraçados). Será que a ignóbil tentativa de privatização da TAP, a frota de bandeira nacional, não justifica a greve a que vão aderir todos os TRABALHADORES da empresa?

    As greves fazem para protestar. E quando do outro lado está um (des)Governo (des)governado, seja bem vinda a greve; doa a quem doer!

    Abç

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os pilotos não estão contra a privatização, tanto assim que eles até querem que lhes caiba um quinhão de 20%. Acho bem que se impeça que este desgoverno tome qualquer medida importante, que se desfaça de tudo e que nos deixe o futuro armadilhado. Mas contra isso não vejo ninguém fazer finca-pé, só oiço as larachas do costume.

      Eliminar
    2. HenriquAmigo
      A greve desta vez é só dos pilotos, daí a razão do meu post. Quanto ao direito à greve, sabes que não é universal. Os polícias, por exemplo, não podem fazer greve...
      Abraço

      Eliminar
  5. O Carlos sabe muito melhor do que eu defender os seus pontos de vista, mas como eu gosto de meter a minha colherada, enquanto ele não me cortar o pio, ou o ferrão, vou dando as minha picadas (as dele são de escorpião), mas como agora li esta carta aberta, de quem está a lutar contra a privação da TAP, aqui fica: https://www.facebook.com/naotaposolhos/posts/401253880058825

    ResponderEliminar