terça-feira, 10 de março de 2015

Yo no creo en brujas, pero...

Foi hoje sorteado o juiz que vai julgar  o pedido de Habeas Corpus interposto pelos advogados de José Sócrates.
O feliz contemplado é o juiz Santos Cabral que, por mera coincidência, foi afastado da PJ por divergência com Alberto  Costa, ministro da Justiça do governo Sócrates.
Não será caso para dizer que Sócrates tem azar ao jogo, mas que o prémio saiu à casa, não há dúvidas.
É que, por muito que me tentem convencer do contrário, eu não acredito na isenção da justiça quando estão em causa questões pessoais entre julgador e julgado. 
E acredito mesmo que  esta noite, ao jantar, o procurador Rosário Teixeira tenha aberto uma garrafa de vinho especial.

3 comentários:

  1. Acho que tem mesmo azar ao "jogo"...

    ResponderEliminar
  2. Um juiz que conheço muito bem dos meus tempos de advocacia.
    Pequenino e torcido até dizer chega!!

    ResponderEliminar
  3. Respondendo ao Pedro, pequenino e torcido, como convém neste caso...

    Sim, Carlos, também considero coincidência a mais... e nem sou adepta de teorias da conspiração! :P

    Beijocas

    ResponderEliminar