sexta-feira, 20 de março de 2015

Tá tudo doido?


Li num relatório da OCDE, divulgado há cerca de  duas semanas, que uma em cada cinco das pessoas que trabalham  sofre de uma doença mental.
Na altura pensei com os meus botões: não há razão para alarme, porque toda a gente sabe que o trabalho dá saúde, por isso dentro de alguns anos o número de trabalhadores com doenças mentais será diminuto.
Por razões que agora não vêm ao caso, fui obrigado a ler o relatório com mais atenção e, aí, fiquei preocupado.
É que, de acordo com o relatório, metade dos trabalhadores sofrem de problemas mentais ao longo da sua vida.  Comecei logo a imaginar que num país azarado como o nosso pode acontecer que todos os membros de um governo ( creio que se incluem na classe dos trabalhadores)  sejam afectados por uma doença mental durante o período de quatro anos em que exercem funções. Os esquecimentos sistemáticos do pm e os últimos acontecimentos com diversos membros do governo aumentaram a minha preocupação.
Também li nesse relatório  que o custo das doenças mentais  está estimado em 3,5% do PIB  e comecei a sentir muitas comichões que me deixaram preocupado, até porque nessa altura estava a ouvir um debate na AR. ( Fui imediatamente ao médico, mas está tudo bem, podem ficar descansados) 
No âmbito da pesquisa que estava a fazer,  li um artigo em que o autor defende que as classes economicamente mais débeis têm mais tendência a contrair doenças mentais e lembrei-me logo do nosso pm que, por dificuldades financeiras, não cumpriu os seus deveres fiscais e por esquecimento escapou aos deveres contributivos. De início preocupei-me, mas logo de seguida relaxei, porque alguém me lembrou  que afinal o pm  nunca trabalhou na Tecnoforma nem em lado nenhum enquanto foi deputado, logo os seus esquecimentos devem ter outras causas.
Bem, mas o que me deixou absolutamente alarmado foi o facto de um grupo de psícólogos ter dito que Cristiano Ronaldo precisava de ir ao divã.  Não é que eu não pense o mesmo... o problema é imaginar o drama nacional que esta notícia vai provocar. Se os visados fossem o pm ou o PR, ninguém ligava, mas CR7? O Bola de Ouro? Só pode ser inveja de espanhol. Vamos a eles!

1 comentário:

  1. O rapaz tem ido ao tapete, de vez em quando. Daí ao divã, é uma distância curta.
    O que sentirá o português que diz ser Ronaldo o melhor do mundo e arredores?

    ResponderEliminar