terça-feira, 24 de março de 2015

Post com dedicatória

Este post é especialmente dedicado àqueles idiotas que, sob anonimato, enchem as caixas de comentários a dizer que sou socrático.
Nunca aqui defendi a inocência de Sócrates. Insurgi-me, sim, contra a forma kafkiana como o processo tem decorrido desde a detenção do ex-primeiro ministro. Em causa está a liberdade de cada um de nós e o perigo de neste país o comportamento dos agentes da justiça não pode ser escrutinado.
Não quero viver num país onde os banqueiros não são presos, apesar de se acumularem provas dos seus crimes,  mas um ex-político pode ser preso para investigar eventuais crimes, porque um qualquer procurador ou juiz tem contas a ajustar ou não simpatiza com a cor política do visado.
O que este homem assumidamente de direita aqui escreve, em nada difere do que tenho aqui escrito. A justiça não está acima de qualquer suspeita e, por estes dias, as suspeitas de arbitrariedade são imensas. Ora leiam, s.f.f.

6 comentários:

  1. Tenho nada a ver com isso!
    Tô na paz de cristo, amém irmãos.

    Beijinhus.

    ResponderEliminar
  2. Antes de ler o link ia precisamente dizer que todo o acórdão é apenas um artigo de opinião. Não é assim que se faz justiça. Pena ainda não estar disponível o vídeo do programa de terça passada, onde dois advogados, Magalhães e Silva e Paulo Sá e Cunha, estão completamente de acordo e arrasam o sistema de justiça, além de darem explicações detalhadas.Até disseram que devido ao corporativismo da classe, a Relação nestes casos, nunca vai contra a primeira sentença. Mas Carlos não se se preocupe, porque desde que se fale em Sócrates, toda a canalha graúda, que ficou lesada, fica perdida. Sabendo que desde que a Sábado publicou as notícias, que estava a ser investigado, era agora que se corre o risco de forjar ou alterar provas? Ninguém lhe perdoa, que até à crise financeira ele tenha sido o melhor primeiro ministro, o mais lutador, depois de Abril. E agora até às eleições será um bode expiatório, para não vender cabritos a esta canalha. Toda a tralha cavaquista é que devia estar na prisão. E quanto a ele investiguem primeiro, arranjem provas e depois prendam-no. E não se preocupe Carlos que vozes de burro não chegam ao céu.

    ResponderEliminar
  3. De esquerda, ou de direita (ou nem por isso de nenhum dos dois lados da barricada) o que é fundamental é perceber se são cometidas arbitrariedades no exercício dos poderes de autoridade do Estado.
    Quando isso acontecer, sem medo, de cara destapada, denunciar e combater os mesmos.

    ResponderEliminar
  4. Foi um primeiro ministro combativo e quer alguns idiotas queiram ou não teve uma maioria absoluta e quase outra . Foi o homem mais caluniado dos últimos tempos .Qual a razão ? Não sei ou até saberei....foi derrotá-lo , quebraram-lhe as pernas , fecharam-lhe a boca , para dar lugar a esta escumalha ,obediente da Alemanha, FMI etc , e fazer chegar o país ao retrocesso a que chegou...Ainda um dia , o Estado português , todos nós , vamos pagar uma indemnizaçao pela prisão indevida, disto tenho eu a certeza....quando a justificaçãõ mete cabras e cabritos....que pouca vergonha , que falta de porte e de cultura. Sabe , quem não bebe chá em pequeno , pode ser juiz , pode ser PR , mas acabam por dar ao monte nem que seja no sorriso de uma vaca.
    M.A,A,

    ResponderEliminar
  5. Socrático? Vossa Exª. sempre me pareceu mais sofista.

    ResponderEliminar
  6. Carlosamigo

    Mas temos justiça (com caixa baixa)???

    Abç

    ResponderEliminar