terça-feira, 17 de março de 2015

Moral da História

Depois de ler, ouvir e ver todo o basqueiro que a comunicação social fez em torno da reportagem do Paris Match sobre o casal Varoufakis e face às reacções da escambalhada de direita, concluo que um tipo de esquerda tem de ser pobre, cheirar mal da boca, beber vinho a martelo e casar com gajas de bigode que se vistam de forma andrajosa e cheirem a sovaco. 

9 comentários:

  1. Já nem se pode ser da esquerda hoje em dia!!

    ResponderEliminar

  2. Entendo que o primeiro passo é imaginar, questionar, e em seguida o homem começa a adquirir conhecimento, caminhar seus passos...

    ResponderEliminar
  3. Não, Carlos, não tem que ser nada disso.
    Mas não pode é pedir sacrifícios às pessoas e exibir o seu próprio fausto.
    O que é que o Carlos diria se fosse um dos nossos governantes a fazer aquela figura???
    Não é ser de direita ou de esquerda, é uma questão de bom-senso e pudor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Pedro!
      Não me diga que um professor universitário nos USA, consultor de diversas multinacionais, casado com uma mulher que também ganha bem, não pode ter um apartamento junto à Acrópole e não pode usufruir os bens que a vida lhe permite.
      Ser de esquerda não é ser pobre, nem fingir que se é miserável., ou remediado. É lutar por igualdade de oportunidades.

      Eliminar
    2. Pois claro , tenho a água a correr para encher a banheira para o meu banho de imersão , ritual sagrado , não me queixo da vida , para má língua de muita gente simpatizo mais com a esquerda , mas gostava que os menos favorecidos tivessem um pouco mais de oportunidades e qualidade de vida.
      M.A.A.

      Eliminar
    3. O Carlos sabia que as principais reacções negativas vieram da esquerda?
      Comentou-se que para um país que está financeiramente de pantanas, não está nada mal este tipo de postura e ostentação.
      Em Espanha comentou-se que um ministro de um governo de esquerda radical não pode portar-se daquela forma. Não podia estar mais de acordo! A esquerda (sobretudo a extrema) que tradicionalmente critica e combate a burguesia e os comportamentos burgueses, vê um dos seus ter um comportamento perfeitamente burguês e nada consentâneo com o estado de penúria em que está a Grécia.

      «Não me diga que um professor universitário nos USA, consultor de diversas multinacionais, casado com uma mulher que também ganha bem, não pode ter um apartamento junto à Acrópole e não pode usufruir os bens que a vida lhe permite».

      Por mim até pode ter tudo isso, mas não tem que ostentar e armar, foi o que ele fez, um pouco mais de recato só lhe ficava bem.

      «Ser de esquerda não é ser pobre, nem fingir que se é miserável., ou remediado. É lutar por igualdade de oportunidades»

      Concordo, mas alguma esquerda gosta de censurar comportamentos burgueses, mas depois também tem gostos burgueses, é a tal história: «Faz o que eu digo, não faças o que faço».

      Pedia-se um pouco mais de coerência e tino a Varoufakis, o próprio mais tarde reconheceu (e bem) que foi um erro ter deixado fazer aquela reportagem.

      Eliminar
  4. "De minimis non curat praetor", diria eu no meu latinório.

    ResponderEliminar
  5. É, a malta de direita não perdoa que pessoas que vivem relativamente bem (social, cultural e pecuniariamente) tenha ideais de esquerda - esses só têm de pensar no seu umbigo e em fazer mais e mais dinheiro todos os dias! Cambada! :P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. Pode ter isso tudo e muito mais, Carlos.
    Não deve é exibir essas posses numa situação como a que a Grécia vive.
    A vaidade sobrepôs-se ao bom-senso.
    Acontece a todos.....

    ResponderEliminar