domingo, 28 de dezembro de 2014

Tento na língua, puto!



O clube dos viscondes anda em reboliço, desde que um plebeu ascendeu à presidência. Bruno Carvalho é talentoso e tem pinta de ministro. 
Aquele ar de feirante da Feira do Relógio, o apoio a um trafulha como Mário Figueiredo para presidir à Liga e, principalmente, os repetidos processos disciplinares levantados a atletas, na tentativa de arranjar um pretexto para os despedir sem ter de lhes pagar as indemnizações a que têm direito, são características que o qualificam como ministeriável. 
É certo que a tentativa de despedir Marco Silva, numa altura em que o Sporting é a única equipa portuguesa a lutar em quatro frentes não lhe saiu a preceito, porque os sócios do clube  reagiram negativamente a essa possibilidade.
Bruno, porém, não desiste e pediu a ajuda de José Eduardo, um viscoso lambedor de botas que, no dia seguinte a defender a continuidade de Marco Silva como treinador, escreveu um abjecto artigo no jornal "A Bola" que define bem a sua sabujice. Será um forte candidato a secretário de estado do ministeriável Bruno. Para já, de um processo crime não se livra, o que em certa medida enriquece o seu curriculo.
Embora uma grande parte dos sócios e simpatizantes leoninos tenha manifestado  na comunicação social a sua discordância com Bruno de Carvalho e condene a sua excessiva verborreia, há quem goste. Como é o caso de Carlos Mané, um jovem formado em Alcochete, que disse com profunda convicção estar disposto a dar a vida pelo seu presidente.
Ninguém de bom senso estaria disposto a dar a vida por um presidente, seja ele qual for, mas Mané é jogador de futebol. Um puto certamente bem intencionado, a quem ninguém disse que só se deve dar a vida por algum familiar próximo.Nunca pelo patrão.
Ajudem o Carlos Mané a perceber isso, antes que o puto se perca e acabe a assinar pelo Benfica.

9 comentários:

  1. Sou sportinguista e na generalidade estou de acordo com o seu comentário ( só não sou visconde) mas segundo o que me apercebi o puto fez um comentário irónico, pelo menos assim percebi. Quanto ao actual presidente da liga é um gajo honestissimo basta pertencer á casta que nos f....

    ResponderEliminar
  2. Não são viscondes. São barões, descendentes dos colonizadores brasileiros, que enriqueceram à custa da escravatura. Até eu hoje estive a ver um programa completo de futebol, até lá estava lá Dias Ferreira e para me aperceber de todas as tramóias à volta dessas personagens. Um artigo daquele calibre, num jornal do fornecedor do Sporting, merece uma queixa judicial. Mas hoje já vale tudo. Até o futebol já não é mais um desporto. É apenas um negócio. Desculpe, dragão.

    ResponderEliminar
  3. Carlosamigo

    Sou também leão mas como diz o senhor anterior (detesto anónimos, e por isso na nossa Travessa não entram) não sou visconde; sou plebeu, mouro, honrado e trabalhadeiro.

    O BdeC é um parvalhão dado a imitar um tal Jorge Nuno (que pediu, em tempos, a minha cabeça numa bandeja tal como S. João Baptista - mas sem Salomé, digo eu. Por isso deu merda.

    No entanto, há que reconhecer que ressuscitou o clube de Portugal (os "outros" são regionais ou de bairro...) está a tentar consertar o mal que outros fizeram ao meu clube e nisso já fez bastante.

    Mas, infelizmente é um desbocado, um fala-barato a autopromover-se rodeado de sabujos eduardos e nem se lembra que foi ele o gajo que foi buscar o Marco. Que Foi bom treinador no Estoril...Lembro-me logo do Paulo Fonseca...

    Quanto ao Figueiredo - nem pó; quanto ao Duque, só me saem duques!

    O puto Mané está a ser formado - no futebol. É melhor deixa-lo crescer e depois verá-se Mesmo sem o estúpido blécaute digam-lhe para estar calado, pois há coisas que não se dizem - nem sequer pensa-las...

    Vivó Sporting!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Sr. Antunes Ferreira!
      Não me diga que esse azedume todo é por causa das castas? Eu não sou senhor, sou senhora, mas já tenho direito a espalhar umas palavras. Eu estou identificada em todo o lado, até no FB, com fotografia e tudo. Mas como gosto de dar umas ferroadas, adoptei um pseudónimo apropriado. Não sou como o senhor que, como jornalista, tem de dar a cara em todo o lado, embora também haja muitos célebres escritos e escritores, com pseudónimo. Até o coitado do Pessoa, como não cabia num só, arranjou vários heterónimos. Eu assumo tudo o que digo cara-a-cara e nunca fui condenada. Não vou dizer que não tenho nada a esconder, porque não quero ser considerada enfadonha, como afirmou o Julian Assange, por videoconferência, no simpósio "Ficção e Realidade", que se realizou no Estoril, o mês passado. Mas muitas vezes temos que encriptar as coisas. E olhe que até já troquei mensagens com o dono desta casa. Também já tenho ido à sua Travessa e tem lá muitos pseudónimos e sou capaz de afirmar que não conhece, pessoalmente, toda a gente que lá comenta.
      Será que não conhece a nossa história? Aqui está a ferroada. Realmente o futebol põe as pessoas fora de si. Por alguma razão muitos nem conseguem explicar essa loucura. Fique bem.

      Eliminar
    2. «No entanto, há que reconhecer que ressuscitou o clube de Portugal»

      O clube de Portugal? Só porque tem Portugal no nome? Então porque tem um nome estrangeiro? Sporting em português, não é rigorosamente nada!
      Se fosse um clube verdadeiramente português devia chamar-se: Clube Desportivo de Portugal. Pois é, para vocês se calhar era capaz de ser um bocado foleiro.

      Meu caro Antunes Ferreira, o clube de Portugal é a Selecção Nacional!

      Eliminar
  4. Sou benfiquista, mas gosto do Sporting, à excepção de quando joga contra o Benfica.
    Este presidente do SCP é um anormal e o Marco Silva um treinador que até nem precisa do Sporting para nada...
    Quanto ao Mané. é um puto e não me importava que assinasse pelo Benfica.

    ResponderEliminar
  5. O Bruno de Carvalho é um idiota chapado.
    O José Eduardo nem merece qualquer qualificativo.
    O Mané um puto, imberbe, que diz uns disparates que a idade dá para entender e desculpar.

    ResponderEliminar
  6. «O clube dos viscondes»

    Sempre foi o clube da fidalguia. Numa versão mais moderna, é o clube dos «fascistas», dos militares, dos queques e dos betos, de pessoas que pensam que tem sangue azul e que são melhores que os outros. Pena é que as coisas a maior parte das vezes não sejam assim, sobretudo nestes últimos anos.

    Já o Bruno de Carvalho é um individuo muito tenrinho. Quer imitar o Pinto da Costa em tudo. Desde aquela treta de se sentar no banco, pena que não tenha percebido que o banco para além de ser o lugar para treinadores, jogadores, é com o devido respeito, o lugar destinado só para massagistas e roupeiros.
    A sua linguagem desabrida causa quase sempre mais estragos, do que efeitos benéficos. Também aquela de dar uma de moderno e querer dirigir-se a todos pelo facebook, está mal, o facebook não é a forma adequado de um presidente de um clube de futebol se dirigir à sua massa associativa e adepta.

    Quanto ao José Eduardo, sempre o considerei um vaidoso e um pavão. A grande preocupação dele é o seu restaurante, tudo o resto é secundário. Efectivamente não passa de um sabujo.

    Quanto ao Mané, ele que se dirija ao outro lado da segunda circular, que de certeza que será bem-vindo!

    ResponderEliminar
  7. Abstenho-me de falar de mediocridades. Mas sempre digo que Bruno + José Eduardo = lixo. Mais ou menos tóxico.

    ResponderEliminar