quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O PS está a cometer um erro

Concordei com todas as propostas de alteração ao OE 2015 apresentadas pelo PS, excepto uma: a redução da taxa do IVA da restauração e hotelaria para 13%. 
A descida do IVA  não vai fazer baixar os preços, como já admitiu o presidente da AREHSP. Nem vai contribuir para criar emprego. Logo, não há benefício para os consumidores, nem uma redução da taxa de desemprego por essa via. Os únicos beneficiados serão, por isso, os empresários do sector.
Comprendo a lógica da proposta, mas  refuto a oportunidade. Quando o PS for governo, a perda desta receita vai ter de ser compensada de outra forma.
O governo cometeu um erro crasso quando aumentou o IVA, mas não será com a redução da taxa que o erro pode ser corrigido. Há que encontrar alternativas mais eficazes, com efeitos benéficos para os consumidores e para a economia.


3 comentários:

  1. Não concordo. Começo por dizer que não tenho nenhum interesse neste sector.
    Em primeiro lugar o IVA da hotelaria é de 6% e não de 13% como mencionado no post.
    O PS manteve e bem o compromisso de baixar o IVA da restauração para a taxa intermédia porque existe um estudo de PWC onde se conclui que o montante cobrado a mais em IVA (cerca de 170 milhões) é inferior ao montante que o estado cobraria em contribuições para a segurança social, IRS, taxas, e IRC caso não tivesse ocorrido a destruição de emprego e de criação de riqueza com a subida do IVA na restauração. Além disso o estado passou a ter de pagar subsidio de desemprego a cerca de 80.000 desempregados originados pela falência das empresas de restauração devido ao aumento do IVA. Esse estudo está disponível no site da AHRESP e foi amplamente divulgado na imprensa.
    Trata-se somente de respeitar um compromisso eleitoral baseado em estudos económicos que demonstram que a subida do IVA na restauração é má para a economia e destroi empregos.

    ResponderEliminar
  2. Não me pronuncio porque não disponho de elementos suficientes para o fazer com um mínimo de certezas

    ResponderEliminar