domingo, 5 de outubro de 2014

Aqueles deviam ser dias felizes...


Bons tempos em que era um prazer  tomar remédios. Nessa altura, as farmácias chamavam-se, muito apropriadamente, drogarias. 



Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada
             como um substituto não viciante da morfina e um remédio contra tosse para crianças.



O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavam que tinham efeitos medicinais, mas indubitavelmente eram consumidos pelo seu valor "recreador" também
Este vinho de coca foi fabricado pela Maltine Manufacturing Company de Nova York. A dosagem indicada dizia: "Uma taça cheia junto com, ou imediatamente após, as refeições. Crianças em proporção.". Depois, um idiota qualquer inventou a Ovomaltine e estragou tudo!

O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavam que tinham efeitos medicinais, mas indubitavelmente eram consumidos pelo seu valor "recreador" também

Este National Vaporizer Vapor-OL era indicado "Para asma e outras afecções espasmódicas"
O líquido volátil era colocado numa panela e aquecido por um lampião de querosene. 



Acha que a nossa vida moderna é confortável? 
Antigamente para aquietar bebés recém-nascidos não era necessário um grande esforço dos pais, mas sim, ópio.  Este frasco de paregórico (sedativo) da Stickney and Poor era uma mistura de ópio e de álcool que era distribuída do mesmo modo que os temperos pelos quais a empresa era conhecida.  "Dose – [Para crianças com] cinco dias, 3 gotas. Duas semanas, 8 gotas. Cinco anos, 25 gotas. Adultos, uma colher cheia."
O produto era muito potente, e continha 46% de álcool.

7 comentários:

  1. Pois...as senhoras também inalavam rapé, o ópio era o pão nosso de cada dia, etc, etc!

    Hoje também há dias felizes...para quem quer, obviamente!

    Ah, estes 'EMILIOS'!!!

    Janita

    ResponderEliminar
  2. Hoje essa felicidade faz-se com tinto
    mesinha açucarada
    vertida numa tetina
    para o bebé pegar na mamada

    (sabia que há lactentes internados com cirrose
    por overdose?)

    ResponderEliminar
  3. Outros tempos, outras mezinhas, as mesmas doenças!
    Se este inverno for como o passado bem precisava de algo que me ajudasse a suportar a tosse e a falta de ar!
    E estava eu em Lisboa...imagino como será por aqui onde faz muito mais frio! :(

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Assustador!
    Também como os anúncios do tabaco e uns de maquilhagem radioactiva

    ResponderEliminar
  5. Posso copiar o comentário da Graça?? :))))

    ResponderEliminar