terça-feira, 2 de setembro de 2014

Adivinhe quem disse esta merda!

" Quem diria, digamos há 20 anos atrás, que era possível um polaco estar à frente do Conselho Europeu? Que mudanças importantíssimas se deram na Europa, que extraordinário facto este de a Europa ter este poder de atracção"
Estas palavras foram proferidas no domingo por Durão Barroso, para enaltecer a escolha de Donald Tusk para a presidência do Conselho Europeu.
O que o escroque fugitivo que andou a emporcalhar o nome de Portugal durante uma década  não disse ( mas certamente sabe...) é que o presidente do conselho europeu foi  um  seguidor de Hayek, presumindo-se  que  tenha , igualmente, um profundo apreço e admiração por Pinochet e Salazar.

7 comentários:

  1. Temos portanto a UE ( e quase todo o mundo) nas mãos de escroques, criminosos, fascistas! Até onde irá a escalada?

    ResponderEliminar
  2. Talvez soubesse mas achou por bem (que bem?) não dizer.

    ResponderEliminar
  3. Carlos, lido o texto para que remete o "link", não me atrevo a tirar a conclusão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, Francisco. O texto inicial podia induzir em erro os leitores. Já corrigi. Obrigado pela chamada de atenção.

      Eliminar
  4. Não faltam admiradores das ideias de Hayek em Portugal, o que não significa que sejam salazaristas ou "pinochestistas". Além do mais, Tusk tem feito um bom cargo à frente do governo polaco, depois do executivo proto-reaccionário de Kaszinsky. Além de que viveu mais de 30 anos sob um regime opressivo que era precisamente o oposto das ideias de Hayek. Eis o tal "fascista" e "criminoso", que eu pessoalmente gosto muito de ver à frente do Conselho europeu (com o risco de me tornar assim uma admirador de Salazar e Pinochet, que como se sabe, eram grandes admiradores da UE).

    ResponderEliminar