terça-feira, 19 de agosto de 2014

Estou baralhado

O governo vem insistindo, há três anos, que cortes nos salários dos funcionários são reformas do Estado e os cortes nas pensões, reforma da segurança social.
Quando PPC  reagiu ao chumbo do TC no Pontal, garantiu que não faria mais nenhuma reforma da segurança social antes das legislativas de 2015 e até apelou a  um acordo com Seguro.
Pensei, na minha ingenuidade, que PPC estava  a falar a sério, mas descurei um pormenor: há uma diferença entre as palavras de gente normal e as outras. Só por isso me surpreendi quando hoje li que, afinal, o governo pensa repor a CES em 2015.
Chamem uma ambulância, por favor. Não é para mim, é para ele!

2 comentários: