quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A mão atrás do arbusto: afinal, havia outra!


As notícias dos últimos dias indiciam que a NATO está a preparar, para o cenário da Ucrânia,  um dossiê de provas idênticas às inventadas por Bush para invadir o Iraque ( e que Durão Barroso jurou ter visto).
É por isso oportuno  lembrar o que se passou com as provas recolhidas pelo Ocidente em relação ao abate do avião da Malaysia Airlines

Nas horas e dias seguintes sucederam-se as "provas" de que era a mão de Putin que estava atrás do arbusto para cometer aquele crime hediondo.
As televisões publicaram videos de conversas que confirmavam o envolvimento da Rússia e a responsabilidade de Putin. E nem faltou o Nuno Rogeiro, na SIC, a entrevistar um jornalista do Paris Match que até fotografara o Buk. 
Muitas horas, provas e críticas depois, a ONU declarava Putin criminoso de guerra, a UE e os EUA aplicavam mais sanções à Rússia, a  opinião publicada dava o assunto por encerrado e a  opinião pública dormia descansada. Só que, tal como acontecera no Iraque, a história estava mal contada e surgiram provas de que afinal o avião malaio tinha sido abatido pelos ucranianos.
 Sobre isso, porém, não há notícia. Excepto aqui

3 comentários:

  1. Parece-me, Carlos, que ainda é cedo para tirar conclusões definitivas, sendo que também não é de descartar a hipótese de nunca se chegar a saber a verdade. É, aliás, o que acontece as mais das vezes em casos semelhantes. Infelizmente.

    ResponderEliminar
  2. Meu caro, não ficou claro que o acidente foi da responsabilidade de Sócrates? Que o mesmo Sócrates é que deu dicas para invadir o Iraque? Então ...

    ResponderEliminar
  3. Os aviões da Malaysia Airlines (os dois) ainda são casos muito mal explicados.
    Um dia vamos saber toda a verdade.
    Como aconteceu com as armas de destruição maciça.

    ResponderEliminar