domingo, 27 de julho de 2014

Quem me leva cigarros à cadeia?

Daqui a minutos vou entregar-me às autoridades porque tratei mal um animal doméstico. Pior ainda. Matei um animal doméstico. Não me digam que a ratazana que se passeava no jardim de minha casa há uns meses, não era um animal doméstico. Se não fosse, porque é que ela insistia em dormir todas as noites no jardim cá de casa?
Aviso desde já que não vou pagar multa, sujeitando-me assim à pena de prisão que o juiz decretar. Agradeço, por isso, que  me levem cigarros e façam uma petição para que eu possa partilhar a cela com o Tobias, o gato que há cinco anos me serve de companhia. Temo que, deixando-o sozinho em casa, ele acabe por morrer à fome e, quando sair da cadeia, volto a enfrentar um processo que inexoravelmente me levará novamente às masmorras, por ter abandonado um animal doméstico.
Agradecido.

34 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado, Catarina. Pode ser La Paz. E a petição pelo meu Tobias? Assina?

      Eliminar
  2. Primeiro assino a petição pelo Tobias. Depois ... com filtro ou sem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Observador. La Paz, obviamente sem filtro

      Eliminar
  3. Conte com a minha assinatura:-))

    ResponderEliminar
  4. Então o Tobias não caça ratazanas?!
    Que gato inútil...mas toca a fazer-lhe festinhas porque ele merece mesmo assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Tobias deve ser vegetariano, Rosa :-)

      Eliminar
    2. O Kasimir não caça ratazanas, Rosa dos Ventos, mesmo assim é um gato muito útil para me fazer companhia.

      Eliminar
    3. O Tobias, o meu sobrinho, não é vegetariano... e gosta muito de gatinhas!!!

      Eliminar
  5. Andava uma mosca doméstica , aborreceu-me e ...aspirei-a.
    Que pena ter deixado de fumar....
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  6. ahahah... Essa fez-me lembrar uma outra do meu filho (47 anos !!!) !
    Há dias a empregada, vendo um ratinho na cozinha e tentando apanhá-lho, trilhou-o numa porta do armário. Entretanto entro o meu filho e ainda assistiu ao final.
    O que acham que ele fez ? ... pegou no ratinho, tentou tratá-lo, desinfectar a ferida com medicamento, deu.lhe água a beber, meteu-o numa caixinha tipo de sapatos, mas infelizmente o bichinho não resistiu ao fim de algumas horas, para total consternação do meu filho, que (note-se) é vegetariano ! :))))

    Prometo-lhe, Carlos que lhe pedirei para o ir visitar à prisão, mas estou certo que ele não lhe levará cigarros ! rsrsrs ... Já me aconteceu ouvir das boas quando matei uma formiga ! eheheheh
    .
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei como é, Rui. Também tenho um sobrinho assim. E só é um ano mais novo do que o seu filho...

      Eliminar
    2. Também faço parte do grupo do filho do Rui e do sobrinho do Carlos.


      Eliminar
  7. Não será preciso uma coisa nem outra, porque esta vai ser mais uma das leis para "inglês ver"... :P

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei não, Teté. Para já, o primeiro sobre a alçada da lei é um polícia que matou um cão a tiro ontem. Vai ser um bom teste para aplicação da lei.

      Eliminar
  8. Carlos, vai ter pena agravada. A morte à fome do bichano, também será seu dano.
    Cigarros, que tal charros?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas essa não será culpa minha, Rogério!
      Charros? Já foi tempo :-)

      Eliminar
  9. Vamos mas é deixar de fumar!
    Viva o Tobias!! :))
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fumo muito pouco, Pedro. Duas ou três cigarrilhas, nem é fumar. É puro prazer.
      Boa semana

      Eliminar
    2. Tanto é fumador o que fuma um, como o que fuma cem cigarros ou similares. Aproveite para deixar de fumar.
      Fique descansado que eu também assino a petição.

      Eliminar
    3. Mas fumar duas ou três cigarrilhas por dia não é o mesmo que fumar dois maços , Paulo.
      Obrigado, em nome do Tobias.Espero é que ele não se vicie em drogas duras...

      Eliminar
  10. Do que me foi lembrar. Fez no 17.7.2014, 18 anos, que morreu o meu gato, mais querido, que se chamava Tobias. Está enterrado no meu jardim, e ainda lembro essa data pondo-lhe lá flores. Há doenças que não se curam. Quanto aos cigarros, ainda tenho dois pacotes (comprava logo para o mês), só que não são la paz, que terei todo o gosto de lhe levar. Foi o que me sobrou de ter deixado de fumar, fez 10 anos no dia 21.04.2014. Fumei o último depois de almoço. E como já estão rançosos e amarelos, talvez com o saber desagradável, consiga deixar de fumar. Guardo-os só para gozar com eles. Não custou nada. E foi numa das piores alturas da minha vida. Mas se eu consegui aguentar uma situação também aguentava a outra. É certo que quase tive que atar o braço, com uma écharpe porque não sabia o que fazer com ele, que costumava estar sempre ocupado.
    Também me lembrei doutra situação: Houve uma época em que eu tinha de assinar dezenas de ofícios para devolver as cadernetas dos cães que os caçadores, mandavam abater ao veterinário municipal, depois de terminar a época da caça, só para não pagarem a licença, nem os alimentarem. Qual será a doença que o veterinário agora arranjará, já que eles morriam todos tão jovens. Há tanta coisa que a gente só sabe quando passa pelas situações! E juro-lhe que não consegui fazer nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu jardim também estão enterrados alguns cães que foram meus companheiros de vida. Gatos é que só há uma, porque o meu pai não gostava deles.
      Também conheço algumas histórias revoltantes sobre cães de caça abandonados, mal tratados e até abatidos. Mas como se pode pedir a caçadores que matam animais por puro prazer, que tratem bem os cães?
      Esta lei foi feita pela metade e com todo o cuidado para proteger certos lobbies e grupos de interesses. Tenciono escrever sobre o assunto num dos próximos dias.

      Eliminar
  11. Vem a propósito: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/internacional/insolito/cao-desmaia-com-saudades-da-dona

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo video. A propósito, conto-lhe a história de um cão do meu tio que, depois dele morrer, ia todos os dias para o cemitério e deitava-se na campa dele. Só à noite regressava a casa. Foi assim até morrer... junto à campa!

      Eliminar
  12. Tenho que tomar cuidado. Cá em casa também se finou um rato não faz muito tempo. Osgas e aranhuços nem se fala. Pior é que eu nem sequer fumo. Como irei fazer isto?

    ResponderEliminar
  13. rrss Eu levo, amigo!

    Já agora , ficas a saber -se é que não sabes - que és um criminoso se maltratares um animal doméstico, mas que podes adoptar uma criança e devolvê-la anos depois como se fosse um produto estragado e que estás proceder legalmente e só és criminoso perante pessoas decentes que sabem que a adopção é um direito da criança e não dos adultos !!

    Fica bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E posso caçar à vontade, maltratar os animais de circo e assistir às touradas dem quaisquer remorsos. Ou escravizar animais , desde que seja para tarefas agrícolas. Ou vendê-los para experiências em laboratórios, nomeadamente para fins cosméticos. Tanta hipocrisia não se aguenta!
      Uma boa noite, amiga

      Eliminar