quarta-feira, 30 de julho de 2014

Não pagamos?

Logo que rebentou a notícia sobre o Grupo Espírito Santo, o tipo que anda por aí a fingir que é primeiro-ministro afivelou a sua voz de tenor e garantiu: os contribuintes portugueses não serão chamados a pagar os erros de gestão dos privados.
Repetiu a afirmação mais duas ou três vezes, para que fosse reproduzida pela comunicação social à saciedade e os portugueses se convencessem que  o alegado PM os tinha no sítio. 
Ontem, pela noitinha, aproveitando o facto de a maioria dos portugueses estar em férias, ou distraída com outras coisas, o governador do Banco de Portugal ( um dos mais escutados gramofones do dandy da Porcalhota) lá veio esclarecer que, se não houver alternativa, os portugueses lá terão de puxar os cordões à bolsa para pagar as dívidas do GES/BES.
Não pagamos?
Ai pagamos, pagamos!

5 comentários:

  1. Deviam ser preses por gestão danosa do país! :(

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
  2. Lá terão?
    Pois, então!

    "Ai, aguenta aguenta", dizia a ave agourenta

    ResponderEliminar

  3. Carlos:
    Se o passinhos fosse tenor, não teria chegado a pm e nós não estaríamos tão mal. De certeza que não leu este artigo de opinião. http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=3607869&seccao=Convidados

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente acumulam-se os sinais de que será mesmo assim.
    Mais uma vez, o Zé Povinho a pagar os desmandos de uma corja de vígaros :(

    ResponderEliminar
  5. Era previsível que assim fosse. Ouvi o sr. que "governa" o país proferir palavras, música para os ouvidos dos portugueses, sobre a situação do BES. Não me convenceu, nadinha, nadinha... Não sei porquê?!!!!!

    ResponderEliminar