domingo, 15 de junho de 2014

Já não há traidores como antigamente

  1. O Miguel de Vasconcelos também era um intelectual de direita, mas não teve sorte. Foi defenestrado, por traição à Pátria.
  2. Os novos intelectuais de direita também estão a sair do armário mas,em vez de serem defenestrados, estão a ser acolhidos com entusiasmo pela comunicação social, que ainda lhes paga para defenderem ideias que visam submeter  Portugal aos interesses de Bruxelas. 

2 comentários:

  1. GOSTEI de ler o artigo de Paulo Moura, na minha opinião, um artigo longo e muito interessante.

    ResponderEliminar
  2. Tal como a ematejoca, também gostei de ler o artigo.
    E gosto de pessoas que assumem as suas convicções.
    De esquerda, de direita, whatever.
    O que não gosto nada é de gente fingida.
    Aquele abraço e votos de boa semana!

    ResponderEliminar