quarta-feira, 28 de maio de 2014

Eu não esqueço...

Vou lendo e ouvindo  o argumentário do aparelho de Seguro para não convocar eleições  no PS e não posso deixar de sorrir. 
Não vou aqui reproduzir todos os argumentos. Basta-me um. Seguro não convoca eleições antecipadas, "porque isso seria violar a “Constituição” do partido, ou seja, os estatutos". Curioso argumento. Expliquem-me então, por favor,  a razão de exigirem a Cavaco a convocação de eleições legislativas antecipadas. O governo em funções não está constitucionalmente legitimado para exercer o seu mandato até 2015?
Argumentos à parte,  o esforço dos seguristas para se manterem no poder é – para quem ainda tenha dúvidas- a prova de que  a actual liderança do PS não está preocupada com o país, nem com o partido. Está apenas a lutar pela sua sobrevivência. Acusar António Costa de deslealdade é, no mínimo, risível!
Eu não esqueço a deslealdade de Seguro com Sócrates. Admito perfeitamente que se tenha afastado por discordar da política seguida pelo ex-primeiro ministro. Não esqueço é que Seguro – quando o declínio de Sócrates se começava a tornar evidente- deu várias entrevistas em que  Sócrates foi acusado das maiores barbaridades e não teve uma palavra em sua defesa. Na noite eleitoral de 5 de Junho de 2011,  ainda  Sócrates respondia a perguntas dos jornalistas, já Seguro se postava diante das câmaras para anunciar ao país que seria candidato à sucessão.
Quando  assumiu a liderança do PS demarcou-se de Sócrates, como se o ex primeiro ministro tivesse peçonha. Nunca ninguém lhe ouviu uma palavra em defesa do anterior governo. Isso não é deslealdade? 
É certo que o PS conseguiu uma grande vitória nas autárquicas, mas as europeias vieram demonstrar que não foi uma vitória de Seguro. A verdade é que o PS venceu as autárquicas, apesar dos erros de Seguro na escolha de muitos candidatos. Limito-me a recordar dois casos  paradigmáticos: Cascais ( onde escolheu António Cordeiro, presidente da Associação Nacional de Farmácias, que teve uma derrota estrondosa) e Matosinhos, onde impôs um candidato contra a vontade dos socialistas locais, que foi derrotado pelo anterior presidente da câmara, que se desvinculou do PS  para concorrer como candidato independente. 
O resultado das europeias confirmou aquilo que muitos militantes e simpatizantes socialistas  já sabiam: Seguro e a sua equipa não merecem a confiança dos portugueses. Se o líder socialista pusesse os interesses do país à frente dos seus interesses pessoais, teria feito como Rubalcaba em Espanha. Demitia-se no dia seguinte e convocava eleições no partido. Saía com dignidade e evitava lutas intestinas que apenas contribuem para enfraquecer o PS. A direita agradece e, certamente, não deixará de recompensar Seguro pelos bons serviços prestado.


15 comentários:


  1. E que entre então em cena o senhor que se segue.

    Na actual conjuntura e com a direita enfraquecida, António Costa será muito provavelmente o próximo Primeiro Ministro de Portugal.


    Beijinhos com memória
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muito boa gente, como tu, o Carlos e grande parte da minha família portuguesa, que querem ver o António Costa como o próximo Primeiro Ministro de Portugal.

      Vamos lá ver no futuro... eu continuo a apostar na geração mais jovem.

      Eliminar
    2. ...perdi-me agpra. Que geração mais jovem?

      Eliminar
    3. O PS precisa de um jovem inteligente e promissor como um João Ferreira!!!

      A geração socrática pertence ao passado!!!

      Eliminar
    4. Percebo o seu ponto de vista, mas há um senão ideológico: o João Ferreira é do CDU e não do PS.

      Eliminar
    5. Eu sei que o João Ferreira pertence ao Partido Comunista, por isso, é que eu disse que o PS precisa de um político jovem e inteligente como um João Ferreira.

      Com um socrático como o António Costa ou com um António José Seguro, o PS não vai ganhar com margem suficiente as próximas eleições para mandar o actual governo para o diabo.

      O futuro de Portugal depende de uma nova geração de políticos, que não cometa os mesmos erros do passado.

      Eliminar
  2. Vejo uma grande euforia com o avanço do António Costa, que sempre foi um socrático, porém é bom não esquecer que o suporte do António José Seguro vem das bases, da máquina partidária, que é bastante forte.

    ResponderEliminar
  3. Eu não esqueço o discurso rancoroso e mesquinho de Cavaco, na AR, contra o governo Sócrates, aplaudido de pé pelo PSD, CDS e Tozero Inseguro.
    PS, PCP e BE sentados e mudos.

    ResponderEliminar
  4. O que não deixa de ser surpreendente,(ou talvez não)é a ousadia com que algumas figuras do PS,para defender A.J.Seguro,"argumentam"desferindo insultos de sarjeta,a António Costa.Eu sei,nós sabemos,eles sabem,que a vida lhes corre bem.O Povo,o País;que se fodam!Ouvir os argumentos de Alberto Martins,é comprar uns sapatos de velocista profissional e disparar a alta velocidade comprar um saco de drogas duras.É bom que, rápidamente,no interior do PS,se comecem a discutir,seriamente,as razões que o conduziram ao ponto em que se encontra.O reinado dos partidos de videirinhos,está a um passo do ocaso!

    ResponderEliminar
  5. Assino por baixo este texto do Carlos. Contribuiu, pelo silêncio, para a diabolização de Sócrates e nisto sempre percepcionei política baixa e interesses espúrios. Não vejo A.Costa como o D.Sebastião, mas vejo-o como um líder assertivo e capaz de catalisar ideias e pessoas. Sobretudo para espremer esta pústula nojenta que é a atual política portuguesa. Estou a exigir demasiado? Certamente...mas remoça-me a esperança.

    ResponderEliminar

  6. A actual direcção do PS blindou os estatutos, para que mais ninguém possa entrar, sem ter de partir muita loiça e quebrar o partido. Por isso é que Costa tem recuado. Por outro lado os media, todos ao serviço do governo, também lhe têm queimado a imagem para que ninguém lhes faça frente. Quisesse o Carlos César e talvez ninguém se metesse com ele. Sócrates foi o único homem com coragem para enfrentar toda a canalha com força. Começou logo pelos juízes, por isso nunca mais lhe perdoaram. Nem os bancos. Veja-se como está o BES e não só. As medidas erradas que tomou foi porque foi obrigado por terceiros, por causa da crise internacional. O Seguro é apenas um espantalho, no meio da seara, para espantar os pardais.

    Emantejoca- O PS tem um jovem professor doutor economista, João Galamba, mais bem falante e sabedor que João Ferreira que só sabe tirar partido do descontentamento popular, que aqui promete uma coisa e PE vota tudo ao contrário.Até votaram contra medidas que nos eram favoráveis. É a única coisa que este partido sempre fez. Até nisso tivemos azar, e nunca fará parte de um governo porque não se quer queimar. Além disso aos jovens, quase todos falta-lhe o saber de experiência feito, para deambularem bem nos meandros da política. É por isso que Seguro também nunca tomou uma posição de jeito, a não ser, de vez em quando, dizer: "estou aqui", por um motivo qualquer.

    ResponderEliminar
  7. Gaita! Até me assustei depois de ter publicado o comentário. É que verifiquei que hoje é dia 28 de Maio. Seria interessante que muita gente soubesse o que se passou uns tempitos antes desta data, quando estávamos falidos e nos queriam tirar a independência e um saloio aceitou tomara conta do país, desde que aceitassem todas as condições que ele impôs, e que foram 48 anos de negrura. Se as pessoas fossem um pouco mais esclarecidas, talvez votassem de maneira diferente, mas tudo só quer puxar a brasa à sua sardinha, mesmo que tenham que vender a alma ao diabo. Deviam saber que este país só teve superavit nos dois anos da Guerra por causa da venda do volfrâmio e depois foi-se aguentando com a miséria e as remessas dos emigrantes, que foi sempre o que nos salvou, até a haver o desbaratar total.

    ResponderEliminar
  8. E enquanto estas lutas intestinas se vão desenrolando, enquanto a poilitiquice e os politiqueiros vão desfilando argumentos, Passos e Portas assistem de poltrona.
    E o PR pode gozar a reforma em paz e sossego como sempre pretendeu.
    Fica a pergunta - e o povo, pá??!!

    ResponderEliminar
  9. A resposta que dei para o post com o tittulo: «Qual foi a parte que Seguro não percebeu?» de 28/5/2015, também serve para este.

    ResponderEliminar