quinta-feira, 22 de maio de 2014

A verdade é esta...

As eleições de domingo para o PE não vão alterar em nada a vida dos europeus, porque o PE deve ser o único parlamento do mundo onde os deputados (quase) nada decidem.  É essa a explicação para a elevada abstenção nos 28 países da UE. Quer isso dizer que não vale a pena ir votar? Não.
Em Portugal, o dia 25 é uma oportunidade de os cidadãos exprimirem o seu repúdio  e o seu  protesto contra este governo, através do voto. Mas também contra esta Europa que nos impôs a canga e arranjou uns capangas que a mantivessem bem apertada
Os portugueses fogem cada vez mais das manifs. Estão a acantonar-se cada vez mais nos seus refúgios corporativos, para manifestar o seu desagrado. Estão a  resvalar para a indiferença, que é o pior inimigo da democracia. Estão a ser invadidos pelo medo de um futuro negro, se não acatarem as decisões da corja que nos governa.
Posso compreender isso tudo. Não posso é aceitar a abstenção.Não votar no dia 25 é aceitar este governo. Quem ficar em casa, merece o governo e a Europa que tem. 

3 comentários:

  1. Subscrevo mas estou convencida que vai haver uma abstenção enorme! :(

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. A minha verdade é outra:

    Martin Schulz ou Jean-Claude Juncker é a questão que me obriga a levantar de madrugada para ir votar.

    ResponderEliminar
  3. Carlos, não é verdade e faz mal em propalar que o PE (quase) nada decide... O Pacto Orçamental, aprovado nesse parlamento é um bom exemplo...

    O Parlamento Europeu: poderes

    O Parlamento afirma plenamente o seu papel institucional no plano da elaboração das políticas europeias através do exercício das suas várias funções. A participação do Parlamento no processo legislativo, os seus poderes em matéria orçamental e de controlo, a sua participação na revisão dos Tratados e o seu direito de intervir nos processos submetidos ao Tribunal de Justiça da União Europeia permitem-lhe assegurar o respeito pelos princípios democráticos a nível europeu.
    Base jurídica

    Artigos 223.º a 234.º e 314.º do TFUE.
    Objetivos

    Enquanto instituição representativa dos cidadãos europeus, o Parlamento constitui o fundamento democrático da União Europeia. A fim de assegurar à UE a sua plena legitimidade democrática, o Parlamento deve estar plenamente envolvido no processo legislativo europeu e exercer, em nome do público, o controlo político sobre as demais instituições europeias.

    ResponderEliminar