segunda-feira, 28 de abril de 2014

Uma lufada de ar fresco

Tudo indica que no dia 25 de Abril, surgiu em Portugal um jornal on line que vale a pena ser lido. Criado por jornalistas independentes, dá-nos as notícias do mundo real, que ultrapassam o crivo censório que se instalou nas redacções. 
Leiam Jornalistas Sem Fronteiras , façam o vosso juízo e dêem a vossa opinião.

5 comentários:

  1. Pelo que já li é altamente recomendável.

    outeiro

    ResponderEliminar
  2. Promete, sim senhor:

    «Tal como a democracia degenerou em caricatura, também a liberdade de informar e ser informado se foi transformando na sua negação, continuando embora a dizer-se que foi abolida a censura. A dos coronéis e do lápis azul foi sim senhor, mas renasceu sofisticada, indolor, mistificadora e arrogante sobretudo quando proclama que é a verdade em pessoa e plural como deve ser. Não é nada disso, é obra do poder do dinheiro, o mesmo - e mais apetrechado - que o derrubado pelos capitães de Abril.

    No entanto, a liberdade de informar e ser informado, tal como todos os outros valores de Abril, deixou marcas, memória, herança.

    Este jornal que hoje nasce, Jornalistas Sem Fronteiras, é um resultado de tudo isso. Um jornal sintonizado com Abril, com a Constituição da República, por uma imagem do mundo sem censura.

    De todos nós, que o fazemos, só um viveu Abril. Todos os outros, porém, o conhecem, o respeitam, se identificam com os seus valores, que são universais e não apenas portugueses.

    Há no nascimento e existência deste projecto uma influência determinante da obra dos capitães de Abril.

    Pretendemos que ele seja, dentro das limitações próprias da afirmação da independência clara num mundo de dependências obscuras, mais uma demonstração de que Abril existiu e está vivo.»

    ResponderEliminar
  3. Tudo que seja diversificar o espaço informativo é muito positivo, Carlos.
    Fica aqui um leitor atento.
    Aquele abraço e votos de boa semana

    ResponderEliminar
  4. É neste tipo de jornalismo alternativo e baseado quiçá, em projectos de crowdfounding que se puderá preservar a isenção e o código deontológico dos jornalistas. Muitos nunca devem sequer ter lido o código e nem o conhecem... e não se regem por nenhuma conduta moral.É ver o caso da ERC e de quem lá foram sentar na cadeira da presidência...!? Não conhecia o projecto, mas acho-o bastante interessante e com pernas para dar ainda muito que falar. Uma verdadeira lufada de ar fresco na podridão e manipulação dos media portugueses actuais.

    ResponderEliminar
  5. Espero que se mantenha no ar durante muito tempo. Faz falta informação alternativa. Estou farto de ver e ler sempre domesmo.

    ResponderEliminar