sexta-feira, 25 de abril de 2014

40 anos depois...

... lembrei-me disto.

 "Às vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas… O tempo passa… e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!"

Bob Marley


10 comentários:

  1. Bob Marley terá 'espreitado' a história portuguesa?

    ResponderEliminar
  2. O ser humano é imperfeito...e os sonhos, às vezes, são desmedidos mas vale a pena continuar a sonhar com um mundo melhor para todos!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. ~ Eis um dia que nos deve fortalecer o nosso ânimo, que nos recorda que vale a pena lutarmos pelos nossos sonhos e ideais, que não se baseiam em pessoas, mas no nosso querido Portugal e na vitória do Bem.

    ~ A B R I L ?

    ~ S E M P R E !

    ~ ~ ~ V ! ~ ~ ~

    ~ ~ Majo ~ ~

    ResponderEliminar
  4. O sonho está por realizar ainda que, outrora tivessemos tido a ilusão de que fora realizado.

    ResponderEliminar
  5. Lembrou-se muito bem, Carlos!

    Eu lembrei-me que a minha amiga Angie e o Obama se encontram actualmente na minha Lista Negra!!!

    ResponderEliminar
  6. O 25 de abril, estará sempre enraizado nas nossas vidas. Sempre!
    E a cada ano que se comemora, mais vincado fica o seu significado.
    Apesar de sentir, que muito do que, com o sair á rua em setenta e quatro reivindicamos e passamos a usufruir. Foi levado pelas artimanhas dos novos políticos e com o nosso deixa andar, hoje as conquistas não são mais que a nostalgia do poder que adquirimos há não muito tempo atrás.
    O povo foi moldado com o decorrer dos anos, sem se aperceber que se encaminhava para a boca do lobo. E presentemente, quarenta anos depois sinto. Que já não temos volta para recuperar os argumentos com que obtivemos a vitória.
    Não nos apercebemos que nos estavam a separar, evitando com isso que a força do povo permanecesse indissolúvel. E de uma enormíssima união que jamais seria vencida. O povo sente agora que é presa fácil para fazer calar a sua revolta.
    Os discursos que se ouvirão na sua comemoração, serão não mais que o desabafar do que se conquistou e a certeza do que deixamos perder. E obrigados a ouvir da boca de quem sabe, que nós sabemos. A hipocrisia de o elevar como grandíssima conquista perpetuada ao longo das próximas gerações.
    As armas que eram visíveis á quarenta anos. Serviram para libertar sem necessitarem de abrir fogo.
    Hoje idênticas armas servem para amedrontar e silenciar quem tão isolado tenta acordar, as conquistas de um Abril que se deseja tão perto. Mas que Deus permita que não. Tão inacessível nos tempos mais próximos.
    Abril sempre, irão dizer todos daqui a dias!
    Abril como nostalgia, dizemos todos olhando para os cravos que ainda muitos colocarão na lapela.

    ResponderEliminar
  7. Se calhar, aqueles que tomaram uma atitude há 40 anos, devem estar a pensar: FOI PARA ISTO???

    ResponderEliminar