terça-feira, 18 de março de 2014

A formiga que pensava ser um elefante

Imagem roubada aqui


A Duma pediu aos EUA e UE para aplicarem sanções a todos os deputados russos. Este tom zombeteiro e provocatório com que a Rússia reagiu às sanções aplicadas pela UE não é apenas humilhante. Mostra que  Putin está-se marimbando e sabe que a Europa ( principalmente Alemanha e França) tem muito a perder se a Rússia enveredar pela via da retaliação.
Merkel ainda não terá percebido que está a brincar com o fogo, mas alguém a avise que é melhor  não esticar muito a corda.  Putin é um déspota, mas neste caso a razão está do seu lado e a hipótese de, à boleia deste conflito,  querer reaver outros territórios perdidos com a desagregação da URSS não estará posta de lado, se a UE continuar com ameaças, apregoando um poder que não tem.
 Muitos esperavam que Putin reagisse, em relação à Crimeia, como fez em relação à Moldávia: deixar tudo em lume brando, à espera que os separatistas  consumem  a independência da Transnístria, sem ter de mexer uma palha. Desta vez, porém, Putin foi rápido a reagir  e, assertivo,  lançou um aviso à Europa: ou tás quetinha, ou levas no focinho. Depois, foi ouvir o Jorge Palma: deixa-me rir!
 Entrementes, a possibilidade de a Transnístria vir a proclamar a separação da Moldávia, fica a pairar no ar. A concretizar-se, será mais um duro revés para a Europa, sem capacidade de reagir perante um hipotético endurecimento de Putin, um tipo perigoso que esperará o tempo que for necessário para poder lançar os seus dados com grandes hipóteses de sucesso.
Temo, porém, que Obama caia na tentação de dar ouvidos aos apelos do presidente fantoche ucraniano que  já fala em ataque russo e pede o apoio do Ocidente. Se isso acontecer, temos o caldo entornado.
Esta gente está a precisar de uns abanões  para ver se acorda. Atravessando um período de penúria e  sem capacidade para enfrentar a Rússia- que também não está nada interessada, por agora, em provocar um conflito- a Europa só tem dois caminhos a seguir: ou tenta a via do diálogo com Putin, ou acolhe-se – uma vez mais- à sombra protectora dos EUA. Não pode é continuar a mostrar as garras, quando não tem unhas para atacar. Porque,  como sempre, quem se lixa é o mexilhão!

6 comentários:

  1. Amanhã estarei mais habilitado para um comentário... fui convocado!

    Claro que tenho ideias próprias... mas o facto é que se vão apropriando da informação. Vivemos num faz de conta, em que cada um pinta a sua manta!

    No fundo, no fundo, resta-lhe a razão quando fala em mexilhão...

    ResponderEliminar
  2. De novo a politicazinha imperialista da Alemanha? À beira do centenário da primeira guerra mundial e a 60 anos da segunda, vai esticar a corda pela terceira vez?!

    ResponderEliminar
  3. Que o assunto Ucrânia tem sido tratado por amadores está bem à vista. Vamos ver se as coisas não azedam ainda mais. Esperemos que o bom senso impere dum lado e de outro.

    ResponderEliminar
  4. Putin não é um anjo, mas aqui fez o que os USA fariam em caso semelhante!

    Quem privocou esta situação foi a UE , com Merkel à cabeça.

    Os nazis estão às claras na rua e passaram para o Poder...e isso é legal, mas um Referendo num território visceralmente ligado à Rússia, ameaçado por Kiev é ilegal...

    Receio é que , mais um avez, seja a população a ter que aguentar com o apetite pelo gás , que é disso, afinal, que se trata.

    E apíses feitos a régua e esquadro sempre resultaram mal e a Europa deveria ter aprendido a lição de África, mas qual quê...

    Meu anigo, dorme bem

    ResponderEliminar
  5. A história parece ser uma ciência com tudo descoberto.

    Onde já se viu esta guerra de poderes e impérios?

    Quase desde sempre, parece-me.

    Veremos no que isto desembocará.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Brincar com o fogo mete-me muita impressão.
    E é isso que todos estão a fazer neste caso.
    Espero bem que ninguém saia chamuscado.

    ResponderEliminar