terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O louco de Santa Fé

Num final de tarde, cansado do assédio do calor e da humidade elevada, procurei refúgio num velho café da Avenida  Santa Fé, junto ao Museu da Água.
Liguei-me à internet para saber notícias de Portugal. A determinada altura senti uma mão pousar no meu ombro e alguém perguntou em português com sotaque:
- Es português?
 Olhei por cima do ombro para ver quem me interpelava. Dois olhos alucinados encimavam um corpo envelhecido e cambaleante denunciando excesso de álcool e alguma perturbação mental.
-Sou!- respondi já com os olhos de novo fixados no ecrã.
- País lindo, Portugal! Que saudades! Vida barata, governo forte como deve ser, para vergar o povo e não o deixar levantar a espinha.
- Quando estiveste em Portugal?
-  Vivi em Lisboa quase 10 anos. Depois vocês fizeram a revolução e eu voltei para a Argentina...
- E poucos anos depois a ditadura chegou aqui..
- Ditadura na Argentina? Isso é mania da imprensa e dos comunistas. Aqui nunca houve ditadura. Tínhamos um governo forte, como devem ser os governos, porque isso da Democracia só interessa a quem não gosta de trabalhar e prefere viver de subsídios do Estado.
- E como explicas as pessoas raptadas, os desaparecimentos misteriosos, os voos da Morte? 
- Tudo feito pelos comunistas e pela extrema esquerda para culpar o nosso governo...
Não me apetecia entrar em diálogo com um tipo semi ébrio e com ar de louco, que ainda por cima começava a desconfiar ter pertencido ao execrável regime, por isso virei-lhe as costas e voltei a concentrar-me nas notícias. O homem não desarmou
- Os melhores anos da Argentina foram os dos governos militares, mas as coisas boas acabam depressa. Depois vieram o Menem e o Caballo e a corrupção estragou tudo. Tivemos depois uma enorme crise. Ouviste falar do Corralito?
- Estava cá quando rebentou...
- Aquilo foi tudo mal feito. Os miltares não tiveram cojones para tomar conta disto outra vez e vieram os Kirchner que deram cabo da Argentina. Recusaram pagar a dívida ao FMI, os caloteiros, mas dizem que está tudo bem. 
- Bem melhor do que há 10 anos, pelo menos...
- Esta vaca da Cristina está a preparar-se para nacionalizar empresas europeias...
- Lá em Portugal, temos um governo que faz exactamente o contrário.Vende todo o património do país a chineses, árabes, angolanos...
- Deve ser um bom governo, o de Portugal. Aqui  o desemprego aumenta, fecham empresas todos os dias, sem trabalho as pessoas emigram, aumentam os impostos, cortam os salários, a dívida argentina não para de aumentar e o governo diz que está tudo bem! Deviam dar mas era um tiro na louca da Cristina ,prender os comunistas e os juízes corruptos que a apoiam.
Resolvi dar por terminada a conversa, alegando que estava atrasado para um  encontro. Soubesse eu o que sei hoje e ter-lhe -ia dito que em Portugal tínhamos um governo com o mesmo discurso, mas apoiado pela direita e criticado pela esquerda, ao contrário do que acontece na Argentina. Só que esta conversa decorreu em 2007, ou 2008, ainda nada fazia prever que uma dupla de  escroques, apoiada por um chefe de circo sem vergonha, viria a destruir Portugal.

3 comentários:

  1. Quando essa gentinha quer se igualar aos Deuses, destroem nações.

    ResponderEliminar
  2. E vão conseguindo, dia após dia. E este povo (como o PS) não mexe uma palha para os destronar!

    ResponderEliminar
  3. "E este povo (como o PS) não mexe uma palha para os destronar!"
    Curto e directo, Graça!

    ResponderEliminar