quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Pedro, o louco: c'est la vie!



" Pierrot le fou" é, provavelmente, um dos filmes mais representativos da "nouvelle vague"e o melhor de Jean Luc Godard.  Tendo como protagonistas Jean Paul Belmondo e Anna Karina,  " Pedro o Louco" é poesia projectada na tela, numa policromia nunca vista até então. Um hino à liberdade, um apelo  à fuga das rotinas. Romantismo e aventura conjugam-se para quebrar  o tédio das vidas  repetidas dos bem instalados e alcançar a liberdade. Coisa que só se consegue tendo a coragem de transformar a vida em linha recta a que nos condenaram, num percurso sinuoso onde possamos escrever a nossa história.
Os diálogos são impressivos e simbólicos. Apaixonados ou coléricos, mas sempre profundos. Eu, pouco dado a fixar diálogos, fixei alguns e deixo-vos aqui um exemplo:
Marianne( Anna Karina): O que estás a fazer?
Ferdinand ( Belmondo) diante do espelho retrovisor: Estou a olhar para dentro de mim
Marianne: E o que estás a ver?
Ferdinand: O rosto de um homem a conduzir em direcção a um penhasco a 100 kms/hora
Marianne ( virando o espelho para si): Eu vejo uma mulher apaixonada por um homem que está a guiar em direcção a um penhasco a 100 kms/hora
Ferdinand: Então beijemo-nos!

Há uma explicação para eu ter fixado alguns diálogos. É que vi o filme  sete vezes. Ou melhor...oito, porque depois de escrever este post, fui vê-lo outra vez. É simplesmente soberbo e um dos filmes da minha vida!
E agora  vou até ao Lux/Frágil, para a festa de encerramento, mas o mês da francofonia continua por aqui até dia 31!

2 comentários: