quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Das dificuldades interpretativas do sr. Aníbal

Já quase ninguém liga ao que Cavaco Silva diz. Eu próprio- que gosto de andar bem informado- gasto mais tempo a interpretar as miadelas da minha gata do que os dislates do sr. Aníbal.
O homem que chamou masoquistas aos portugueses por  dizerem que a dívida ( de 127%) é insustentável é o mesmo que derrubou um governo legítimo, com o argumento de que a dívida ( então de 94%) era insustentável. Esse facto é irrelevante. O sr. Aníbal sempre teve algumas dificuldades de expressão e não percebe as vantagens de os portugueses serem masoquistas
Parece-me pois  premente lembrar-lhe que masoquismo é andar a pagar as mordomias de Belém, a um inquilino preguiçoso, que não cumpre as tarefas que lhe foram confiadas pelos portugueses. Ou pagar os vencimentos e mordomias  de ministros que nos andam a roubar. Ou alimentar  centenas de assessores  que se andam a coçar pelos gabintes, cujo único mérito conhecido é ter o cartão de um dos partidos do governo.
Acredite uma coisa, sr. presidente. A sua sorte e a deste governo é os portugueses serem masoquistas.

5 comentários:

  1. A sorte do sr. é os portugueses serem masoquistas e de "raiva mansa"!

    ResponderEliminar
  2. Masoquistas, não!! Mongos! Carneiros! Lesmas! Inertes!

    ResponderEliminar
  3. É a sorte dele! Sermos masoquistas: de contrario já tinha-mos corrido com esta cambada, mesmo que fosse a pontape...

    ResponderEliminar
  4. Mas é mesmo, Carlos.
    Os portugueses são capazes de aguentar tudo.
    Se assim não fosse, ao longo de todos estes anos, e com tanto f....da p.... e tanto vigarista a roubarem o País, já tinha dado m#$da da grossa!

    ResponderEliminar