quarta-feira, 28 de agosto de 2013

A diferença está na cor

Fui um dos que ingenuamente acreditou que o mundo ficaria menos perigoso e mais saudável com a eleição de Obama. Durou pouco tempo a minha ilusão...
Nunca acreditei foi na possibilidade de Obama vir a desencadear uma guerra com pretextos em tudo similares aos usados por Bush para invadir o Iraque. (Nada mau para um Nobel da Paz!)
Tudo indica que isso irá acontecer em breve. Obama- tal como Bush-  violará as decisões da ONU e, com o apoio de Cameron  atacará a Síria. A pretexto de terem sido usadas armas químicas, que a ONU não conseguiu confirmar e, muito menos, determinar se foram usadas pelas tropas de Assad ou pelos rebeldes, armados pelo Ocidente. 
Apesar dos avisos da China, da Rússia e do Irão, os Estados Unidos parecem estar determinados em avançar. Às cegas e colocando em risco a paz mundial. 
Obama está a ficar  cada vez mais parecido com Bush. Um dia destes, a única diferença é a cor.
É triste constatar isto, no dia em que se assinalam os 50 anos do célebre discurso de Martin Luther King, mas...é a vida!
Em tempo: Diga-se,em abono da verdade, que o apoio do PS tuga ( Seguro estará a candidatar-se a suceder a Barroso como mestre de cerimónias nos Açores?) e de François Hollande (outro socialista de gema - deteriorada) merece igual repúdio, mas estes são apenas aspirantes ao lugar de capatazes.

8 comentários:

  1. Carlos, diga-me: qual será a melhor decisão a tomar por parte de Obama? De facto, parece que apenas chegaram à conclusão – por agora – que foi utilizada uma “substância”...

    Na sua opinião, como pôr fim à carnificina que está a ocorrer na Síria? Que deve a comunidade internacional fazer se é que deve fazer alguma coisa. As medidas diplomáticas parece que não têm dado resultado.

    Gostaria de conhecer a sua opinião, Carlos.

    Daqui a poucas horas venho ler a sua resposta! : )

    ResponderEliminar
  2. Eu podia apresentar-lhe muitas razões para o Obama se recusar a invadir o Iraque. Começaria por dizer que nem se sabe quem utilizou as armas químicas e que a situação chegou a este ponto porque o Ocidente andou a armar os rebeldes , ou que já vimos o que etá a acontecer com a Primavera árabe, blá, blá, blá.
    Mas para quê invocar mais argumentos, se Colin Powell os explica aqui?:
    http://www.presstv.ir/detail/2013/08/25/320487/powell-us-should-back-away-from-syria/

    ResponderEliminar
  3. A Síria já afirmou que atacará Israel se for atacada!
    Vem aí uma carnificina ainda maior!
    Como é que não é possível pôr um fim a isto?

    ResponderEliminar
  4. Carlos
    Ainda hoje via algumas notícias e lá vem o Iraque com mais 50 e tal mortos em actos bombistas. Parece-me que a situação na Síria vença quem vença (se é possivel haver vencedores) vai descambar. Claro que enquanto a industria de armamento e destruição massiva fabricar armas esta escalada é imparável. Mal pensa quem julgar que aquilo é lá longe e não nos toca.
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  5. e, esteve hj a discursar no mesmo lugar que Luther King há 50 anos. infelizmente a única característica que contou para receber o prémio Nobel da Paz foi o seu tom de pele para mim uma atitude quase tão discriminatória como teria sido não lho terem atribuído pela mesma razão...

    ResponderEliminar
  6. Obama , neste segundo mandato, é a desilusão completa!

    Aquela sua visita a Israel, foi logo mau prenúncio .Guantanamo continua em funcionamento.

    E ontem quando ouvi Biden, lembrei-me instântanemante das armas de destruição maciça de Sadam, que jamais existiram.

    O pior é que ainda há quem acredite nos EUA!!

    Quanto ao PS , anda mesmo à deriva...Temos um Governo que é uma vergonha e uma oposição desastrosa

    Bons sonhos

    ResponderEliminar
  7. Repito o que lhe correspondi no meu blogue, Carlos - se Obama atacar a Síria, sem uma mandato claro da ONU, será estúpido e mentiroso.
    Espero bem que ele não chegue a esses extremos.

    ResponderEliminar