sexta-feira, 26 de julho de 2013

O novo ciclo, afinal, é uma golpada para derrotar as forças de bloqueio



Falhada a tentativa de amarrar o PS a um compromisso que o obrigava a aprovar incondicionalmente o OE 2014,  Passos Coelho contou com a colaboração de Cavaco para criar a ideia, na opinião pública, de que o governo vai mudar de rumo e entrar na fase de crescimento.
Persiste, porém, um  problema. Sem a anuência do PS ao acordo, é mais difícil  condicionar o TC  na decisão sobre normas inconstitucionais que o governo se prepara para introduzir no OE 2014.  Entrou então em acção o novo Relvas e “o Sol”, na sua edição de hoje, começou a fazer o trabalho de sapa ( ver capa) . 
O semanário do arquitecto aspirante a prémio Nobel noticia que o governo vai avançar com os cortes e alterar as regras de aposentação dos pensionistas do Estado.  No núcleo duro do ‘passismo’ há plena consciência de que os cortes nas pensões do Estado representam uma enorme dificuldade, desde logo no plano constitucional” escreve o Sol.
O semanário tem ainda o cuidado de informar que “o governo não tem opções, no caso de haver dois ou três chumbos do TC”. 
É esta frase que deixa perceber a golpada que Passos terá congeminado com Cavaco.
Em primeiro lugar, colocar a toda a hora, nas televisões e imprensa, comentadores do regime a enaltecer este governo e a entrada num novo  ciclo, de modo a criar na opinião pública a sensação de que finalmente temos um governo credível, apostado no crescimento e em amenizar as medidas de austeridade.
Se, daqui a uns meses, o TC chumbar algumas medidas do OE, o governo demite-se alegando que o TC não o  deixa governar. Está assim criada a “força de bloqueio” , imagem tão cara a Cavaco.  
Demitido o governo  e convocadas novas eleições, a campanha eleitoral dos partidos da coligação assentará na vitimização:
 Estão a ver ?  Agora que  íamos começar um novo ciclo de crescimento, o TC opõe-se a que apliquemos as medidas necessárias para o conseguir. Quem fica a perder são os portugueses, vítimas dacegueira dos juízes, amarrados à Constituição e incapazes de perceberem os problemas do país. Precisamos de uma vitória claríssima nas próximas eleições, para impedir o PS de vir estragar aquilo que construímos ao longo destes dois anos com muito esforço e muitos sacrifícios dos portugueses, que não terão  valido de nada se  o PS vencer as eleições.
No governo há muita gente que aposta nesta estratégia. E se tiverem razão?

5 comentários:

  1. Amigo, se tiverem razão e o "melhor povo do mundo " se deixar enganar...então é porque é o mais idiota povo do planeta!

    Abraços

    ResponderEliminar
  2. A múmia de Boliqueime jurou o quê ?! Que grande traste se se deixar ir nesta estratégia.M.A.A.

    ResponderEliminar
  3. O que chateia é que este "plano", mesmo que meio saloio, pode resultar! :P

    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  4. Não gosto muito quando os Portugueses dizem que os Portugueses são idiotas mas, é uma verdade, que nada aprendemos com os nossos antepassados que durante séculos lutaram para que a nação não fosse engolida por interesses e marmanjos vindos do exterior!

    Um bom fim-de-semana ;)

    ResponderEliminar
  5. Que o Cavaco é maquiavélico, lá isso é. Mas num governo de coligação dificilmente essa estratégia resulta. Estou convencido que as comadres se vão zangar muito antes.

    ResponderEliminar