sexta-feira, 14 de junho de 2013

Ainda sou do tempo...

... em que Pedro Passos Coelho dizia que o Estado era uma pessoas de bem , cumpria os seus compromissos e pagava as dívidas.
Em pouco tempo passou de honesto a caloteiro e de cumpridor a violador da lei, recusando-se a pagar os subsídios de férias aos funcionários públicos e reformados no prazo previsto na lei. Para já, apresentou Cavaco como seu fiador.
Vamos ver se quando os funcionários públicos e os reformados começarem a pedir em tribunal o pagamento de juros de mora, se apressa a pagar ou nomeia o gabinete de S. Bento à penhora. 

2 comentários: