quinta-feira, 23 de maio de 2013

Le Méthèque


“Avec ma gueule de métèque,
de juif errant, de pâtre grec
Et mes cheveux aux quatre vents.
Avec mes yeux tout délavés,
qui me donnent l'air de rêver
Moi qui ne rêve plus souvent (…)

Como a maioria dos leitores saberá, sou francófono empedernido e quando desaparece algum que me povoou a adolescência de  sonhos, através das suas canções, sinto como se tivesse morrido um bocadinho de mim. 
Foi o que senti hoje, pela manhã,  quando soube da morte de Georges Moustaki. Logo me lembrei de alguns momentos desse período e   de um post que aqui escrevi em 2009, no regresso de uma  viagem de férias. 
 “Le Méthèque” também tem andado todo o dia a soar-me na cabeça, porque é a canção que de imediato associo a Moustaki e tem muito a ver comigo.
Méthèque tem origem na palavra grega “Metoikos”, utilizada pelos atenienses para definir aqueles que viviam na cidade, mas não tinham lá nascido.
Moustaki cantava-a com frequência aos emigrantes portugueses que viviam nos arredores de Paris e que eram, na altura, em número superior à população de Lisboa. eu associava-a muito àquilo que sempre quis ser e, felizmente, ainda sou
Sou um “metheque” e sinto-me bem assim. Além de vagabundo, gostaria de continuar, até ao fim da minha vida, com este espírito inquieto “Et mes cheveux aux quatre vents/Avec mes yeux tout délavés/ qui me donnent l'air de rever…”
Merci, Moustaki!

6 comentários:

  1. Transmissão de pensamento!
    Sem todas estas excelentes palavras de homenagem a Georges Moustaki, acabei de colocar a mesma canção no meu blogue!
    A música francesa ficou mais pobre e nós, francófanos/as, também!

    ResponderEliminar
  2. Consigo perceber perfeitamente o que diz e o que sente. Moustaki acompanhou a minha adolescência e ficou na minha vida para sempre.
    Repetindo o "Météque": nous ferons de chaque jour, toute une eternité d'amour que nous vivrons à em mourir"...

    Isabel Mouzinho

    ResponderEliminar
  3. Bonita homenagem a George Moustaki! Merecida, por tudo o que representou para várias gerações. Mas para essas ele não morreu, a sua voz e música ficará para sempre...

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  4. Lembrar Moustaki é obrigatoriamente recordar "Météque"...

    ResponderEliminar
  5. Foi uma das primeiras notícias que caiu no feed do meu facebook, ao início da manhã por via de alguns diários franceses que sigo. Depois a notícia espalhou-se. É claro que gosto imenso de Moustaki.

    ResponderEliminar
  6. Ouvi a notícia ontem assim que entrei no carro para regressar a casa.
    R.I.P. :(

    ResponderEliminar