segunda-feira, 20 de maio de 2013

Esclarecimentos e boas maneiras

Alguns leitores ficaram ofendidos e acusaram-me de ter sido insultuoso por chamar grunho a Jorge Jesus. Esclareço que grunho significa pessoa bronca, ou pouco afável, o que não me parece que seja  um insulto... Por outro lado, não dar os parabéns ao treinador da equipa adversária é baixo nível, falta de educação e de desportivismo. Próprias, obviamente, de um grunho!
Mas se isso vos parece insulto então eu pergunto o que devo dizer daqueles benfiquistas que há tempos me insultaram com palavrões não publicáveis e ameaçaram dar-me uma tareia, só porque estava num local público, com um cachecol a assistir a um Benfica/ Porto na TV, que o FC do Porto venceu por 3-1 eliminando o Benfica da da Taça? Talvez sejam gente civilizada! 
Eu não costumo justificar as derrotas com arbitragens e respeito os adeptos benfiquistas. Quando o SLB venceu o último campeonato, dei aqui os parabéns aos benfiquistas e reconheci o mérito da vitória.  
Quando benfiquistas passam à porta de minha casa no Porto e ao verem-me à janela com um cachecol do FC do Porto, pronto a ir para o Dragão, logo ginasticam os dedos na minha direcção e lançam inúmeros impropérios, não respondo na mesma moeda.
Adoro o FC do Porto, mas nunca insultei nenhum adepto. Nem benfiquista, nem de outro clube. E até sou capaz de enviar um sorriso, mesmo quando o interlocutor não facilita

10 comentários:

  1. Carlos,
    Já vi hoje coisas que me deixaram realmente irritado.
    Respeito, porra!
    Estou a ficar farto de uma data de sonsos.
    E o Jorge Jesus que, mais uma vez, perdeu o campeonato, ainda não ganhou porra nenhuma, vir falar de uma época "muito brilhante" chega a ser hilariante.
    O Sporting do Peseiro foi o quê?
    Demolidor?
    Tenham juízo e respeitem os adversários!!

    ResponderEliminar
  2. Futebol não é o meu forte. Mas hoje não se fala de outra coisa.
    Já estão fartos de falar da crise.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Carlos, não estou tão de acordo com esta visão maniqueísta, como com outros assuntos que aqui costuma tratar. Não há só maus de um lado e bons do outro. Eu usava uma coisa (pirosa, bem o sei) que era um um pequeno galhardete do Benfica no espelho do meu carro. Há que use o terço, mas a minha religião puxa-me mais para a Catedral. Viajava com alguma frequência ao Porto, por razões profissionais Fui várias vezes molestado e invetivado por causa de um pequeno galhardete no meu carro. Obviamente tirei-o. O carro era mais caro do que a minha valentia e eu tive de protegê-lo (...er-me). Como vê não há só num dos lados tipos que fazem coisas feias com o dedo. Quando falamos destas coisas da bola, penso eu, deveríamos ser mais comedidos. Para não nos misturarmos com os grunhos. Um abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
  4. Sou leitor regular e atento deste blogue.
    Fiquei um pouco surpreendido com os dois últimos postes.
    A clubite cega.
    A memória é uma coisa boa!
    A vida não é a preto e branco!
    Há bons, maus e asim-assim em todo o lado.

    outeiro

    ResponderEliminar
  5. Se as mentiras valessem dinheiro este blog era a Casa da Moeda.

    B.S

    ResponderEliminar
  6. Razão tinha Meirim:
    Junte um trolha, um médico e um engenheiro antes de um jogo de futebol. Pode-se vislumbrar diferenças. Depois do jogo ter começado não se sabe quem é o trolha, o médico e o engenheiro. Mais palavras para quê.

    ResponderEliminar
  7. Também você, Carlos?

    Já não me bastava o Machado Vaz?

    Como é possível que pessoas que considero, cuja opinião aprecio e levo em conta, descarrilem quando o assunto é futebol?

    Fico à espera que depois deste desvio (que espero curto) voltem os textos que tanto aprecio.

    Um abraço, com votos de que este surto de clubite aguda passe depressa.

    ResponderEliminar
  8. Oh Carlos, francamente....! Sem comentários!!!!!

    ResponderEliminar
  9. Nalguma coisa teríamos que estar em (profundo) desacordo.
    Como é possível falar em coisas menores, como o não cumprimento de treinadores, quando as vitórias do FCP estão alicerçadas num sistema que toda a gente sabe que é corrupto como foi mais que provado quando do processo apito dourado.
    Não há volta a dar. Pinto da Costa sempre fez o que quis e continua a fazer, no futebol português.
    E os grunhos, não são para aqui chamados, são um "fait-divers"...

    ResponderEliminar