quarta-feira, 17 de abril de 2013

O efeito do jet lag sobre a exportação dos pastéis de nata



Numa prova de apoio à proposta de Álvaro Santos Pereira, o pastel de Belém  exportou-se.
A primeira tentativa, no mercado da Colômbia,  parece que não está a correr nada bem. O pastel chegou lá deteriorado por força do jet lag e disse que Durão Barroso ajudou muito Portugal.
Fonte normalmente bem informada garantiu-me que os colombianos o vão devolver ao remetente nos próximos dias,alegando que o material está deteriorado. Com ele virão também a garrafa de Alvarinho e uma criação culinária de Paulo Portas, destinada às classes A e B, que consiste numa mistura de serradura com creme de laranja, a que foi dado o nome de coligação.

5 comentários:

  1. Cá para mim eles foram à Colômbia só para se ganzar.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Querido e saboroso "pastel de nata" lamento informar-te, tal como o "mordomo", tu és o grande culpado!

    ResponderEliminar
  4. eu acho que vou dar uma trinca nesse pastel...

    :)

    ResponderEliminar
  5. O cozinhado do Portas dá a ideia de estar a azedar....

    ResponderEliminar