segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Pedro e os pastorinhos


O boca de brioche foi a Fátima falar aos pastorinhos. Ou, se preferirem, aos jotinhas laranjas que se preparam para apascentar o rebanho, mas sem terem o trabalho de guardar as ovelhas.
Que disse Pedro Passos Coelho aos inúteis criados à sua imagem e semelhança, que nunca fizeram nada na vida?
Os pastorinhos gostaram de ouvir. Bateram muitas palmas. A esta hora estão reunidos a engendrar a táctica para matar pais e avós, esses imbecis que se recusam a morrer depois de lhes terem dado vida.
De regresso a Lisboa, o energúmeno que se alapou em S. Bento vinha de consciência tranquila. Tinha dado umas ferroadas a Cavaco, a Bagão Félix e a todos os que criticam o corte das pensões. Ainda não sabia que os banqueiros não tinham gostado da sua intervenção e começavam a dizer que o seu discurso tinha sido uminsulto.
Ao telefone com Miguel Relvas, comentava:
Eu fiz a minha parte espero que esta malta da JSD faça  resto. Depois de exigirem que a educação e a saúde sejam pagas, é altura de tomarem medidas para extorquir os pensionistas que vivem de pensões do Estado sem nunca terem feito nada para as merecer.

4 comentários:

  1. Carlos, já desisti de andar atrás dessa gente para lhes sublinhar as patacuadas, os gestos grotescos e as ideias malvadas... é a altura de nos voltarmos para o que é possível fazer e estar atento aos que vão fazendo... "é que sem ideias não vamos a parte nenhuma!" (quem será que disse isto?)

    ResponderEliminar
  2. Tugas e perceber... Não me parece plausível... Ainda há cerca de 60% de eleitores (dados de nov2012) que pretendem votar nestes mesmos senhores.

    O Rogério Pereira pede ideias para o que fazer, eu até tenho algumas. infelizmente este meio não é o ideal para as divulgar, uma vez que como bem sabem tudo é "escrutinado" e monitorizado!

    ResponderEliminar
  3. Só umas eleições, que acontecerão quando o CDS quiser, permitirão responder à sua pergunta, Carlos.

    ResponderEliminar